icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
18/12/2013
17:57

Foi dramático, mas o Brasil conseguiu avançar às semifinais do Campeonato Mundial de Handebol Feminino após vencer por 33 a 31 um jogo de duas prorrogações contra a Hungria, em Belgrado, na Sérvia. Com a vaga, o país garante a sua melhor campanha no torneio, já que nunca havia passado das quartas de final.

- Entramos para a história, mas só entrar para a história para a gente não significa muita coisa. Agora é festejar e meia-noite já pensar no próximo jogo. Não temos tempo de chorar, sentir dor. Eu to mais leve, realmente o trabalho deu certo, ficar longe da família, amigos. Temos de continuar o nosso trabalho - falou Alexandra Nascimento, goleadora da partida desta quarta-feira com dez gols.

A melhor jogadora do mundo de 2012 também ressaltou o fim da sina de o país nunca passar das quartas de final:

- Chega de maldição de quartas de final. Eu estive junto com as minhas companheiras, conversei com a psicóloga. Eu sabia que o momento ia chegar. Sei que não fiz um ótimo jogo contra a Holanda (oitavas de final). Mas graças a Deus a gente ganhou. Lá, fiquei tranquila, e hoje graças a Deus deu tudo certo.

Quem também se mostrou bastante eufórica na comemoração foi a armadora Duda Amorim. Ela lembra que agora a equipe nacional precisa focar em uma inédita medalha.

- Na Seleção é um dos (resultados) mais emocionantes que eu já tive. Ganhamos, acabou essa maldição de quartas de final, agora é brigar pela medalha. Acho que hoje a gente precisa celebrar, porque a gente merece. E é lógico que vou assistir aos próximos jogos. Nosso objetivo ainda não terminou, queremos a medalha - contou Duda.

Agora a Seleção Brasileira aguarda pelo vencedor da partida entre Alemanha e Dinamarca. O duelo semifinal será na sexta-feira, às 17h45 (de Brasília).