icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
05/11/2013
12:38

Apesar da fase do Corinthians não ser muito boa dentro de campo, existe quem ainda acredite em uma reviravolta no Brasileirão. Depois de protestos de torcidas organizadas nas últimas semanas que foram considerados "normais", o lateral-direito Alessandro revelou uma situação curiosa da equipe enquanto voltava de Salvador (BA), após o empate por 1 a 1 contra o Vitória, no último domingo. Torcedores, ainda dentro do avião, ao invés de criticarem a delegação, passaram mensagens de apoio durante toda a viagem.

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, o capitão alvinegro disse mais: afirmou que as palavras que escutou marcaram e que isso fará com que o trabalho seja ainda mais intenso daqui para frente, tudo para chegar até a difícil vaga na Libertadores.

- É uma situação difícil. Mas vou dar um exemplo. Na ida tivemos protestos dentro do avião e na volta a gente teve uma situação muito inusitada. Dois torcedores se levantaram, tínhamos a impressão de que fariam algum protesto direcionado. Mas começaram a dirigir palavras para gente acreditar, que somos um grupo vitorioso. Aquilo mexeu muito comigo. Não esperava que, quase 1h da manhã, depois de uma longa viagem, teria gente que nos passaria uma mensagem positiva. A gente tem de acreditar muito, fazer muito, trabalhar muito forte para estar mais próximo de uma vitória. Vou me motivar por tudo que ouvi desse torcedor para que possa conseguir vencer - revelou.

- Marcou. Falaram que faltam seis jogos e a gente tem que confiar, que dá pra conseguir seis vitórias. Só estavam querendo passar uma mensagem. Isso é uma coisa espontânea e verdadeira, difícil de acontecer. Mas é coisa de corintiano. Fiquei feliz, recebi isso com muito orgulho e trouxe para o dia a dia. Que seja uma motivação extra para nós, independente de qualquer protesto. Foi muito engraçado e importante - completou.

Sobre a parte da torcida que insiste em criticar e fazer protestos, Alessandro também não julgou. Ele foi além. Disse que é totalmente racional a bronca com a equipe, que está em 12ª no Brasileirão e com poucas chances de conseguir uma vaga na Libertadores 2014.

- A chateação do torcedor pelos resultados é racional. Podíamos estar no mínimo por uma zona de Libertadores. Pelo que construímos nos últimos anos. Não estão cobrando aquilo que não podemos dar. É normal cobrar mais forte, já tive meu nome em faixas. Já passei por isso. A gente lá dentro divide as responsabilidades. Se xinga um, xinga todos. Estamos juntos dentro de campo. Vejo como normal. O sentimento deles é o mesmo que o nosso. Estamos decepcionados com nossa campanha. A gente não esperava estar em uma posição tão ruim assim, pelo elenco, planejamento... Era para estar bem melhor mesmo. Infelizmente não veio e a cobrança vai continuar também. Temos seis jogos - concluiu.