icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/07/2013
08:00

D'Alessandro está em uma fase diferenciada. Desde o retorno das atividades, após o recesso para a Copa das Confederações, o camisa 10 marcou gols em todas as partidas jogadas pelo Internacional e atingiu os 10 gols marcados no ano. É o vice-artilheiro colorado na temporada, atrás apenas de Diego Forlán - está à frente, por exemplo, do camisa 9 Leandro Damião.

O argentino se aproxima de seus melhores anos no Inter. Em 2009, marcou 11 gols. Com mais um, se iguala. Em 2011, marcou 16 gols, sua melhor marca com a camisa colorada. Algo possível de ser buscado durante o ano. Até o momento, cinco gols no Gauchão, três na Copa do Brasil e dois no Brasileirão.

- Não quero nem falar, não sou de fazer gol, é a verdade. Temos que aproveitar a fase do grupo. Temos que fazer o melhor em prol do grupo, estamos fazendo. A caminhada é longa, ainda tem na frente o pior, jogos mais difíceis. Mas é isso aí, temos que continuar trabalhando bem, resultado nos deixa bem para trabalhar durante a semana - explicou o camisa 10 na saída do gramado do Independência.

O ano de 2013 é excepcional para D'Ale. Após a chegada de Dunga, o gringo passou a ser, novamente, o centro da equipe colorada e retomou a função de líder no elenco. O técnico afirma que o segredo é apenas um: confiança.

- Desde o momento que cheguei, conversei com o D'Alessandro, a importância e o que ele representava para o Inter. Passei confiança, é um jogador competitivo e cobra muito dos seus comandados os tipos de trabalho. É um líder nato e as coisas se encaixaram naturalmente. Disse que não acreditava no que falavam, da equipe acomodada. E que acreditava neles. Ele tem demonstrado em campo - destacou o comandante colorado.

D'Ale agradece Jorge Henrique por passe contra o América (Foto: Alexandre Lops/Internacional)


D'Alessandro está em uma fase diferenciada. Desde o retorno das atividades, após o recesso para a Copa das Confederações, o camisa 10 marcou gols em todas as partidas jogadas pelo Internacional e atingiu os 10 gols marcados no ano. É o vice-artilheiro colorado na temporada, atrás apenas de Diego Forlán - está à frente, por exemplo, do camisa 9 Leandro Damião.

O argentino se aproxima de seus melhores anos no Inter. Em 2009, marcou 11 gols. Com mais um, se iguala. Em 2011, marcou 16 gols, sua melhor marca com a camisa colorada. Algo possível de ser buscado durante o ano. Até o momento, cinco gols no Gauchão, três na Copa do Brasil e dois no Brasileirão.

- Não quero nem falar, não sou de fazer gol, é a verdade. Temos que aproveitar a fase do grupo. Temos que fazer o melhor em prol do grupo, estamos fazendo. A caminhada é longa, ainda tem na frente o pior, jogos mais difíceis. Mas é isso aí, temos que continuar trabalhando bem, resultado nos deixa bem para trabalhar durante a semana - explicou o camisa 10 na saída do gramado do Independência.

O ano de 2013 é excepcional para D'Ale. Após a chegada de Dunga, o gringo passou a ser, novamente, o centro da equipe colorada e retomou a função de líder no elenco. O técnico afirma que o segredo é apenas um: confiança.

- Desde o momento que cheguei, conversei com o D'Alessandro, a importância e o que ele representava para o Inter. Passei confiança, é um jogador competitivo e cobra muito dos seus comandados os tipos de trabalho. É um líder nato e as coisas se encaixaram naturalmente. Disse que não acreditava no que falavam, da equipe acomodada. E que acreditava neles. Ele tem demonstrado em campo - destacou o comandante colorado.

D'Ale agradece Jorge Henrique por passe contra o América (Foto: Alexandre Lops/Internacional)