icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2014
10:21

Os conflitos registrados no Leste da Ucrânia, na fronteira com a Rússia, fizeram com que um grupo de políticos alemães e o presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Wolfgang Niersbach, defendessem a mudança da sede da Copa do Mundo de 2018 da Rússia para a Alemanha. Eles defendem que a situação política envolvendo russos e ucranianos representa um alto risco.

- Observamos com muita preocupação o desenvolvimento político na Rússia, algo que não era previsível quando se tomou a decisão de entregar ao país a tarefa de organizar a Copa de 2018 - disse Niersbach ao diário alemão "Bild".

Já Karl-Georg Wellman, especialista em política exterior do partido União Democrata Cristã (CDU), o mesmo da chanceler Angela Merkel, reforçou o discurso do presidente da federação. Ele foi além e disse que seria justo que a Alemanha, como campeã mundial, recebesse a próxima Copa do Mundo.

- Naturalmente a Alemanha seria, como campeã mundial, a alternativa adequada para celebrar a Copa do Mundo. O melhor seria realizá-la em parceria com Polônia e Ucrânia, que também possuem estádios modernos - disse o político.

Também dentro do Partido Social-Democrata Alemão (SPD), que faz parte do governo Merkel, disse estar de acordo com a possibilidade da Alemanha receber a Copa de 2018.

- A Alemanha está preparada para uma situação da Fifa decidir tirar o Mundial da Rússia - disse a porta-voz do partido, Michaela Heite.

A escolha pela Rússia como sede da Copa do Mundo de 2018 ocorreu durante polêmico processo, o mesmo que garantiu o Qatar como sede do Mundial em 2022.