icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/04/2014
18:19

Além de seus títulos pelo Santos, Léo ficou conhecido também por suas frases polêmicas durante entrevistas. Por diversas vezes, deu declarações provocativas sobre os rivais e chegou até a cobrar a diretoria.

Considerado impulsivo até por ele mesmo, o camisa 3 do Peixe sempre deu o que falar, o que fez com que ele caísse nas graças da torcida. Uma de suas primeiras falas que viraram assunto veio em 2002, logo após a conquista do seu primeiro título do Campeonato Brasileiro. Emocionado, o jogador chegou a falar sobre morte.

- Tinha vontade de chorar e morrer - afirmou, ainda no gramado do Morumbi.

No mesmo ano, também na conquista do título nacional, ele deu uma das primeiras alfinetadas no rival Corinthians, superado na final e que virou um de seus alvos favoritos até 2012.

- O gol é para toda a minha cidade de Campos, que deve estar em festa agora. Enquanto a gente trabalhava, os gambás falavam. Agora sou eu quem vou comer gambá - disparou.

Dois anos depois, também campeão do Brasileiro, a polêmica surgiu na beira do gramado, quando ele estava rodeado de jornalistas. Na pergunta de um repórter sobre como definir aquele título, a resposta foi:

- Contra tudo e contra todos - falou Léo, sobre as críticas ao longo da campanha.

Anos depois, em 2009, houve uma troca de farpas com outro lateral-esquerdo do elenco, Triguinho. Após uma lesão que o afastou dos gramados, uma de suas respostas causaram desconforto no elenco.

- Olha é normal, mas saí por um motivo de lesão e não voltei mais. Respeito a decisão, mas agora não posso me machucar mais - comentou, a respeito da perda de posição para seu colega.

Em 2012, ano de ascensão do Corinthians, ele desenterrou uma briga antiga com o arquirrival e disse uma de suas mais estrondosas frases. Questionado sobre um suposto vandalismo da torcida corintiana no aeroporto, veio a seguinte citação:

- Quem se acostuma com rodoviária não pode ir a aeroporto.

Quando o Santos foi enfrentar o Barcelona, na final do Mundial de Clubes, ele chegou a ser questionado se o Peixe temia pelo resultado. Mas, na época, ainda havia confiança.

- A gente se encontra lá! Vamos ver se eles são isso tudo - disse, antes de embarcar para ao Japão e ser derrotado pela equipe espanhola na final do Mundial.

Na tentativa de ajudar seu ex-parceiro de time, Ganso, em meio ao imbróglio do ex-camisa 10 com a diretoria, Léo tomou a frente e alfinetou os cartolas alvinegros.

- Não dá mais para aguentar essa "novela mexicana" que virou a história do Ganso. Tem que se valorizar quem foi campeão aqui dentro. Já encheu o saco isso. Não estou desmerecendo ninguém, mas o menino fez por merecer - esbravejou.

Meses após a saída de Ganso para o São Paulo, o ídolo do Santos voltou a ser questionado sobre a falta do jogador para o time, e o discurso mudou.

- Acho que só o Pelé era insubstituível, nenhum outro é. Ele fez a parte dele aqui, procurou ver o lado dele, agora outros têm de entrar e dar conta do recado.