icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2014
08:24

A Copa do Mundo começou e terminou para Porto Alegre. Mas um pensamento não sai da cabeça de um jogador que tem grande representatividade na cidade gaúcha: a que se fosse convocado para um amistoso, poderia ter agarrado a chance para disputar o Mundial. Andrés Nicolás D'Alessandro, 33 anos, admite a frustração por não ter jogado uma Copa.

O camisa 10 do Internacional ainda não superou a falta de chances coom Alejandro Sabella, mesmo sendo um dos destaques do clube gaúcho em 2013. Em 2012, foi chamado para um Superclássico. Mas estava lesionado e não compareceu. Desde então, não foi mais lembrado. Queria uma possibilidade em amistoso de mostrar que tinha condições de fazer parte do elenco. E mais: características necessárias.

- O cara fica frustrado ficando fora de três Copas. Em 2006 estava um pouco mais perto, em 2010 acho que merecia uma chance pelo que fiz no Inter. E agora nesta última não fui convocado, é mais difícil. Quando vê a convocação, o elenco hoje, tu vê, humildemente, que eu poderia ter tido alguma chance em amistoso. Não adianta só falar, tem que demonstrar, mas tem que ser convocado para isso. Não tive a chance, sempre fica o gostinho amargo de poder ter sido convocado ou ter essa chance de demonstrar que poderia ter estado no Mundial - reconheceu o meia argentino.

Por conta da idade, D'Ale sabe que não terá a chance de disputar outro Mundial. Até brinca com o fato, falando que terá de parar de fazer aniversário. Torcendo pela Argentina, com loucura semelhante aos hermanos que invadiram o Brasil para apoiar a seleção. A final dos sonhos, claro, está traçada: o clássico sul-americano.

- Não acho nada, só que poderia ter tido a chance para mostrar para o treinador. Já é tarde também, eu acho para ter a chance de jogar outro Mundial, só se parasse de fazer aniversário (risos). Gostaria de ser Argentina e Brasil, seria muito bom, seria para a história dos Mundiais, pelo que significa a rivalidade. Seria muito bom ter uma final dessas - completou D'Ale.  

D'Alessandro teve chances na seleção quando mais jovem. Foi campeão olímpico em 2004, na Grécia, mas nunca teve uma sequência maior. Foi chamado com Sérgio Batista, mas ficou fora da Copa. Já com Maradona, não recebeu nenhuma chance.