icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
12/06/2014
11:28

O chefe da delegação italiana, Demetrio Albertini, preferiu não adotar uma postura alarmista com relação ao gramado da Arena da Amazônia. O campo de jogo foi alvo de críticas da imprensa inglesa por causa da coloração amarelada e algumas falhas, graças, segundo o governo do estado, a um fungo. Albertini, no entanto, disse nesta quinta-feira, pouco antes do treino da Itália, que isso não é uma coisa que atormenta a seleção azzurra no momento.

- Não é uma preocupação. Vimos um pouco na foto, mas... Vamos ver por um momento como estará quando a delegação chegar lá. E pessoalmente. Não vamos mudar nossa programação. Hoje vamos treinar aqui e ver como estar o campo amanhã - disse Alberini, respondendo também a indagação feita por causa do programa de treinos da Inglaterra, rival na estreia, que nesta quinta-feira fará atividades somente no hotel.

O dirigente foi bombardeado com mais perguntas sobre o campo da Arena Amazônia e disparou:

- O jogo não depende da cor do gramado.

Albertini ainda falou sobre o clima na concentração, em Mangaratiba. Ele admitiu que faz falta um pouco o calor dos torcedores, mas que o time vai entrar de vez no clima de Copa ao ver o jogo do Brasil.

- Faz um pouco de falta o calor dos torcedores, mas haverá outras ocasiões para sentir de perto esse Mundial. O time está tranquilo. Entrarão de vez no clima da competição, porque vão ver a primeira partida. Estamos meio longe, mas vamos viver a atmosfera vendo a abertura - completou o ex-jogador.

A Itália fez um treino parcialmente aberto nesta quinta-feira e viaja na manhã de sexta-feira para Manaus. Lá haverá o reconhecimento do gramado e uma entrevista coletiva do técnico Cesare Prandelli. O jogo contra os ingleses será sábado.