icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2013
09:27

São 16 títulos da Libertadores contra 15 derrotas em finais do torneio. Com esses números, o Brasil é o segundo melhor país nas decisões do torneio, atrás apenas da Argentina. Mas só com 51,6% de aproveitamento nos jogos finais, o país pode voltar a ter metade de ganhos e perdas caso o Atlético-MG não consiga o título para cima do Olimpia.

Inclusive, a vitória do Galo o manterá acima do Uruguai e do próprio Paraguai, que é o país do Olimpia, único time do território vizinho que atingiu a reta terminal da Libertadores.

O Paraguai, com o Decano, perdeu três finais e venceu o mesmo número. Derrota do Galo nesta quarta, então, aumentaria para 57% de aproveitamento.

O Uruguai chegou à 16 finais, tendo o mesmo número de aproveitamento do Paraguai. Caso o Alvinegro brasileiro conquiste seu título inédito, ainda faltaria cinco taças da Libertadores para o Brasil alcançar a Argentina, com incríveis 22 títulos e 9 vice-campeonatos.

São 16 títulos da Libertadores contra 15 derrotas em finais do torneio. Com esses números, o Brasil é o segundo melhor país nas decisões do torneio, atrás apenas da Argentina. Mas só com 51,6% de aproveitamento nos jogos finais, o país pode voltar a ter metade de ganhos e perdas caso o Atlético-MG não consiga o título para cima do Olimpia.

Inclusive, a vitória do Galo o manterá acima do Uruguai e do próprio Paraguai, que é o país do Olimpia, único time do território vizinho que atingiu a reta terminal da Libertadores.

O Paraguai, com o Decano, perdeu três finais e venceu o mesmo número. Derrota do Galo nesta quarta, então, aumentaria para 57% de aproveitamento.

O Uruguai chegou à 16 finais, tendo o mesmo número de aproveitamento do Paraguai. Caso o Alvinegro brasileiro conquiste seu título inédito, ainda faltaria cinco taças da Libertadores para o Brasil alcançar a Argentina, com incríveis 22 títulos e 9 vice-campeonatos.