icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
15/03/2014
10:20

No dia 27 de fevereiro de 2003, o São Paulo recebeu o Santo André no Morumbi já pensando nas quartas de final do Campeonato Paulista. Um empate em casa faria o Santos, então campeão brasileiro, ser eliminado na primeira fase e evitaria um confronto com o Palmeiras no mata-mata, situação que agradava Gustavo Nery.

– Sabemos que um empate classifica a gente e tira o Santos – declarou o lateral-esquerdo na época.

Pouco mais de 11 anos depois, o agora proprietário de uma empresa automotiva no ABC Paulista afirma não lembrar de nenhuma estratégia para entregar o jogo. O duelo terminou empatado em 2 a 2 após o zagueiro Julio Santos cometer falha bisonha e permitir a reação andreense. O próprio Gustavo e Luis Fabiano, com golaço de bicicleta, inauguraram o placar.

– Lembro que nesse jogo eu poderia ter quebrado a perna no meu gol, porque foi um chute prensado. Se fosse para entregar, teria tirado o pé da dividida. As pessoas às vezes imaginam esse tipo de situação, mas isso não acontece. Já faz 11 anos, não me recordo se falei algo antes da partida, mas se não conseguimos ganhar, empatamos e, de repente, a situação era boa, não tem porque ter implicância. Aconteceu – justificou.

O São Paulo goleou o mesmo Santo André nas quartas de final por 4 a 2, avançou às finais, mas acabou derrotado pelo Corinthians em ambas. No ano seguinte, Gustavo Nery também estava no elenco quando Grafite marcou dois gols sobre o Juventus e ajudou o Corinthians a se manter na elite do Campeonato Paulista.

– Eu estava suspenso, mas quem entrou fez apenas o próprio trabalho. O Grafite ainda não era titular absoluto e queria mostrar serviço – disse, em defesa ao ex-companheiro que passou a ser perseguido pela torcida.

Corinthians nas mãos do São Paulo

Com 20 pontos na tabela do Grupo B, o Corinthians está a dois do vice-líder Ituano e com a mesma pontuação do Osasco Audax, a dois jogos do fim do Paulistão. Pelo regulamento deste ano, o São Paulo encara todos os times da chave corintiana nas últimas cinco rodadas e passou a ser a grande esperança do rival pela classificação.

O Tricolor ajudou o Timão ao bater XV de Piracicaba e Osasco Audax, mas voltou a complicar os alvinegros ao triunfar no Majestoso. Agora, o Corinthians precisa vencer o Penapolense e torcer por vitória são-paulina sobre o Ituano no Morumbi, ambas as partidas marcadas para domingo às 16h, para seguir vivo. Se o Galo de Itu bater os tricolores, o time de Parque São Jorge pode ficar sem chances de vaga até mesmo se empatar em Penápolis. As partidas acontecem no mesmo horário.