icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/11/2013
13:03

Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, prometeu iniciar nesta semana uma conversa com Gilson Kleina sobre sua possível renovação de contrato, mas ainda não o fez. Vinculado ao clube até dezembro deste ano, o técnico diz que não ouvirá outras propostas enquanto não definir sua situação no Verdão, mas já cogita dirigir uma equipe menor em 2014.

- Conseguimos o objetivo do acesso e agora vamos fazer de tudo para o segundo objetivo, que é o título. Nós não conversamos, temos que deixar para outro momento. Jamais vou vir aqui e estipular data. Tanto meu futuro quanto o do Palmeiras seguem em aberto. Tem que ser pensado o que é melhor para o Palmeiras - disse Kleina.

- Não teria problema pegar uma equipe mediana. Todo profissional que trabalhou com plano de carreira, como estou fazendo, quer se estabelecer em um nível e conquistar. Você não fica um tempo no cargo em uma potência como o Palmeiras por ficar. Você não vira grande da noite para o dia. Não vou desmerecer nenhum clube. Se eu aceitei, vou fazer meu melhor nessa equipe e assim que funciona. O que eu quero, e está muito convicto no meu pensamento, é manter nesse nível. Se não acontecer, precisarei reavaliar - acrescentou.

Até a semana passada, Gilson Kleina dizia que a confirmação do acesso à Série A o deixaria livre para definir seu futuro. Agora, o discurso é de respeitar a diretoria enquanto a decisão não é tomada.

- Como vou abrir negociação sendo que tenho vínculo? Só posso tomar uma decisão entendendo o que foi decidido. Temos que entender que continua o campeonato, e eu não posso achar que estamos em uma zona de conforto. Conversamos com os jogadores para manter a postura e esperar as coisas acontecerem - acrescentou.