icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma e Bruno Rodrigues
31/12/2013
09:41

Sem grandes reforços até o momento, Paulo Henrique Ganso começa 2014 como a maior esperança de bom futebol do São Paulo. Ao lado do ídolo Rogério Ceni, o Maestro tem tudo para ser um dos principais jogadores da equipe, se tiver nível semelhante ao que terminou a temporada de 2013.

O meia deixou as lesões para trás e conseguiu ser o terceiro no ranking de atletas com mais partidas pelo clube no ano (atrás de Aloísio e Rogério Ceni). Foram 66 atuações, um recorde na carreira do jogador de 24 anos de idade. Antes, o máximo de jogos em uma mesma temporada havia sido 54, em 2009, quando defendia o Santos.

Durante o primeiro semestre, muitos desses jogos foram com o time reserva ou entrando na segunda etapa das partidas. Mas na reta final do ano, o esperado talento de Ganso apareceu com mais nitidez com a camisa do São Paulo. Foram diversas boas atuações e Muricy Ramalho passou a deixar o então titular Jadson no banco de reservas.

Os números comprovam o bom rendimento. O Maestro terminou a temporada como o maior assistente de todo o elenco. Foram 12 passes decisivos para gols no ano. Ele ainda balançou as redes cinco vezes.

Sempre badalado, Luis Fabiano começará 2014 questionado e com chances de deixar o Tricolor. Jadson, o dono da camisa 10, tem sondagens e está insatisfeito com a reserva. Se não recuperar a vaga no início do ano, pode se transferir.

Ganso ainda sonha com a Copa do Mundo. Até lá, ele terá pouco mais de 20 jogos para convencer Felipão. Antes da estreia na Copa, a Seleção fará apenas um amistoso, contra a África do Sul, em março. A concorrência é grande, assim como a expectativa no futebol do meia para 2014.