icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
27/02/2015
20:03

O Comitê Olímpico Internacional (COI) disse nesta sexta-feira que ainda espera que o governo estadual do Rio de Janeiro atinja a meta de limpar ao menos 80% a água da Baía de Guanabara para as disputas da vela para a Olimpíada Rio-2016.

Durante um briefing para a imprensa internacional em um hotel no Rio, Chistophe Dubi, diretor executivo do COI para Jogos Olímpicos, falou em tom de confiança, mas também de cobrança, que a entidade espera que o objetivo seja alcançado.

- Não há decepção (sobre este tema). Ainda há tempo. As autoridades locais nos deram garantias de que atingir os 80% ainda é o objetivo final. Estamos confiantes nisso. Não temos razões para programar a vela em outro local (para a Rio-2016) - falou Dubi.

E MAIS:
>Vídeo 3D mostra andamento das obras e como ficará Parque Olímpico do Rio
>COI determina que Rio-2016 trabalhe com o estado para a despoluição da Baía de Guanabara
>Rio pode ter duas piras nos Jogos de 2016

O discurso do dirigente contrasta com o que foi dito nesta semana por Luiz Fernando Pezão. O governador do Rio de Janeiro falou que o COI precisará ser compreensivo caso a porcentagem de limpeza da Baía de Guanabara não chegue ao determinado.

- Vamos mostrar que estamos fazendo um legado para depois dos Jogos. Temos o compromisso de 80%. Queremos realizar, mas, se não ficar pronto, o importante é que já saímos de 17% para 49% - falou Pezão na última segunda-feira, após um dos encontros da Comissão de Coordenação do COI para a Rio-2016 com autoridades brasileiras.

A questão da Baía de Guanabara trouxe uma consequência para o Comitê Rio-2016. A entidade, que até então era "espectadora" nesta questão, começará a trabalhar em conjunto com o governo estadual do Rio de Janeiro na tentativa de melhorar ainda mais a situação da baía. A água poluída é alvo de críticas de atletas e dirigentes envolvidos com a vela.