icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/04/2014
10:29

O presidente Carlos Miguel Aidar respondeu as críticas feitas por Paulo Nobre em relação a contratação de Alan Kardec e justificou a procura pelo atacante. Aidar entende que as negociações com o Palmeiras se arrastaram e que o mandatário máximo alviverde foi infeliz em suas declarações.

- Eu entendo que a coletiva do (Paulo) Nobre, foi extremamente juvenil. Isto é choro, e o choro não cabe no futebol. O Ataíde (Gil Guerreiro, vice-presidente de futebol) e eu, vamos lutar nesses três anos para segurar todos os nossos atletas, mas estamos sujeitos a um clube vir e tirar nossos jogadores. Mas não vamos ficar chorando - afirmou Aidar durante entrevista coletiva no Morumbi.

- Não houve quebra de ética em hipótese alguma. Onde está a falta de ética em fazer uma proposta com o detentor do vínculo, o Benfica, se o Palmeiras reconhece publicamente que não se acertou com o atleta? - indagou o presidente tricolor.

O mandatário encerrou o seu pronunciamento dando outra resposta a Nobre:

- Dito isso, o choro é livre, chore quem quiser. A manifestação do presidente Paulo Nobre chega a ser patética, se assemelha com o tamanho do clube ultimamente. Ano após ano se apequena com manifestação dessa altura - concluiu.

Após perder Kardec, Palmeiras ataca São Paulo