icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma
03/12/2013
10:05

Em evento realizado em uma churrascaria próxima ao Morumbi, Carlos Miguel Aidar lançou sua candidatura à presidência do São Paulo na noite desta segunda-feira. Ele é o escolhido pelo atual presidente, Juvenal Juvêncio, para sucedê-lo pelos próximos três anos. Nas eleições de abril, Aidar irá concorrer com Kalil Rocha Abdalla, da oposição.

O candidato da situação comenta diversas de suas propostas e diz que seu método de trabalho será a divisão de tarefas. Uma das maiores crítica a Juvenal é a forma centralizadora como ele comanda o clube. Aidar, por exemplo, quer transformar o CT de Cotia em um negócio que se sustente sozinho e forneça jogadores ao São Paulo.

A ideia do candidato de 67 anos, que presidiu o clube de 1984 a 1988 é formar atletas em Cotia e os que não forem aproveitados pela equipe profissional do Tricolor sejam negociados. Esse dinheiro seria reinvestido especificamente no departamento até que um dia ele se torne independente financeiramente do São Paulo. O desejo dele é ver Cotia como uma "universidade do futebol", onde os jovens cheguem, se formem jogadores e saiam de lá profissionalizados.

Toda a atual diretoria marcou presença no evento. Juvenal Juvêncio discursou, assim como João Brasil Vita, sócio número 1 do São Paulo. Até Adalberto Baptista, diretor-secretário geral e ex-diretor de futebol, compareceu, mas evitou os holofotes.

Pita e outros ex-jogadores do clube também estiveram presentes. Segundo Aidar, Zé Sérgio só não foi porque recebeu ordens da Ponte Preta que se comparecesse ao evento perderia o emprego no clube campineiro. Ex-jogador do clube na época em que Aidar foi presidente, Zé Sérgio faz parte da comissão técnica da equipe que eliminou o São Paulo da Copa Sul-Americana. O uruguaio Pablo Forlán enviou uma carta de apoio à candidatura de Aidar.

Segundo a organização, pouco mais de cem conselheiros foram à festa. Destes, 70 eram vitalícios do clube. Ao todo, estima-se que cerca de 700 pessoas compareceram na churrascaria. Muitos sócios e familiares foram ao local, que estava completamente lotado.