icons.title signature.placeholder Russel Dias
16/06/2014
14:09

A surpresa vitória sobre o Uruguai por 3 a 1 na primeira rodada da Copa do Mundo deu à Costa Rica um status diferente do que os jogadores estão acostumados. O largo placar deu a eles o rótulo de sensação do Mundial, pelo surpreendente resultado. Mas esse pensamento é só dos torcedores que receberam os Ticos com festa no retorno a Santos. Os atletas adotaram um discurso mais "pés no chão", e para enfrentar a Itália, na sexta-feira, pela segunda rodada, na Arena Pernambuco, a postura será de cautela.

Segundo o goleiro Navas, grande responsável por ter segurado o resultado a favor, a equipe terá cuidado, mas manterá o estilo incisivo de jogo.

- Fizemos uma partida muito boa. Foram três pontos importantes, mas já passou. Vamos trabalhar com responsabilidade, a Itália é excelente e mostrou nos mundiais. Teremos humildade, mas sem perder nossa gana e estilo e seriedade - disse o arqueiro do Llevante (ESP) tido como um dos melhores na posição no último Campeonato Espanhol.

O ídolo costarriquenho e ex-atacante, Wanchope, atualmente é auxiliar técnico da seleção, e uma das figuras que tem o papel de motivar os atletas. Em suas palavras ele demonstrou de onde vem a calma passada pelos jogadores.

- Agora é normal que as pessoas e a imprensa de forma geral olhem para a Costa Rica. Antes do jogo contra o Uruguai, a realidade era que o favorito era o Uruguai, agora já se deram conta do que pode acontecer. Óbvio que as atenções se voltem à Costa Rica pelo que fizeram contra a Celeste - disse um dos maiores artilheiros da história do país.

A seleção do técnico Jorge Luís Pinto fica em treina na Vila Belmiro até quarta-feira, quando viaja para Recife (PE) para realizar o reconhecimento de gramado obrigatório um dia antes da partida. Pelo saldo de gols, a Costa Rica é a líder do grupo D, na frente da Itália.