icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/04/2014
16:15

O empresário do volante Wesley fala com otimismo sobre a possibilidade de renovar contrato com o Palmeiras. Algum tempo depois do clube informar aos representantes do jogador que gostaria de debater o assunto, a negociação está em andamento.

- Estamos em um processo para poder atender o que o Wesley quer, que é renovar, o Palmeiras também quer. Estamos buscando os números, mas não é uma coisa que se resolve em uma semana. A tendência é atender ao que o jogador quer. E ele quer jogar no Palmeiras. Eu vejo como positivo, mas não dá para falar o que vai acontecer - disse Hugo Garcia, à Rádio Globo.

Wesley tem contrato até fevereiro de 2015 e pode assinar um pré-contrato com outra agremiação a partir de agosto deste ano. O Palmeiras ainda não pagou por sua contratação, e teve os direitos de TV bloqueados para ressarcir o fiador da negociação, Antenor Angeloni, que entrou na Justiça pedindo R$ 21 milhões. Vendê-lo nesta janela seria uma forma de recuperar dinheiro, e o clube não vê a possibilidade com maus olhos, embora tente reformular o vínculo do jogador.

O volante recebe um dos maiores salários do elenco, acima do que o presidente Paulo Nobre considera ideal. Antônio Bahia, agente que também cuida da carreira do camisa 11, já declarou que não se anima com a possibilidade de diminuir os vencimentos para adotar o conceito de produtividade oferecido pelo Verdão em todas as negociações desde dezembro. Garcia adotou outro tom:

- O Wesley, na Alemanha (estava no Werder Bremen antes de chegar ao Verdão, em 2012), tinha contrato de produtividade. Isso é bem aberto, não tem nada contra a produtividade. Tem de ver qual o tipo de produtividade que vai ser aplicada. Já falamos de algumas coisas, é natural. A gente vai ter outras conversas e eu creio que vamos ter um desfecho positivo - acrescentou ele, que admitiu ter recebido algumas sondagens, negou ter sido procurado por São Paulo e Grêmio e não se empolgou com a chance de assinar pré-contrato com clube europeu.

- Eu tenho que encaminhar o que tenho na mão. E o que tenho hoje é a intenção do Palmeiras de renovar, e a intenção do Wesley em renovar. O que vai acontecer lá na frente eu não sei. Se chegar a acordo com o Palmeiras, a gente vai renovar. Um pré-contrato com uma equipe europeia só valeria em julho do ano que vem, porque mesmo que o contrato termine em fevereiro, a janela demora para abrir e ele ficaria sem jogar. Não vejo como benéfico e nem penso nessa possibilidade agora - declarou.