icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
21/06/2014
13:46

Daniel Alves sentou na sala de imprensa da Granja Comary neste sábado com a língua afiada. Visivelmente incomodado com comentários e análises que tem lido e ouvido pela imprensa, o lateral-direito mandou recados na maioria das respostas. O camisa 2 disparou contra o inglês Alan Shearer, ex-atacante que criticou o desempenho do atacante Fred na Copa do Mundo.

- É um dos comentários mais babacas que se pode escutar, de alguém que jogou futebol. É uma pena para o futebol, falta de respeito com companheiro de profissão. Essas pessoas só diminuem um companheiro de profissão, é digno de pena. Falo para ele, e para outros. Parece fácil jogar futebol. É difícil. Se fosse fácil, todo mundo seria bem remunerado e jogaria. É querer menosprezar, isso é muito antiético, é uma pena ouvir alguns comentários de ex-jogadores - disse.

Ao site UOL, Shearer, que é comentarista da rede inglesa BBC, criticou o camisa 9 da Seleção Brasileira.

- Fred está puxando o time para baixo e estou impressionado por ele ter jogado como titular nas duas partidas do Brasil. Ele não se mexe, não ajuda o time e o Brasil parece estar jogando com dez o tempo todo. Ele não pode ser o centroavante de uma Seleção Brasileira num Mundial - comentou o capitão da Inglaterra na Copa do Mundo de 1998.

Não sobrou só para Shearer na entrevista de Daniel Alves. A cada resposta, ele procurou rebater críticas. Atacou até quem diz que o momento do Hino Nacional, por gerar emoção, tem prejudicado os jogadores quando a bola rola.

- Estamos acompanhando. A gente lê, escuta, outro dia vi uma resposta do Loco Abreu: só quem sente isso sabe explicar. É emocionante, não abala. Isso de que homem não chora... São momentos assim que você vê espontaneadade. O cara emocionado está fraco? Pelo contrário! Isso é o que a gente sente, nossa emoção. Homem chora de emoção, não de fraqueza. São momentos incontroláveis. Chorou, morreu, vai competir. Não tem nada a ver. A lágrima sai até sem querer, tem de chorar. Quem não chora não mama - disse Daniel.

- As coisas são engraçadas. Chegam momentos em que a gente também tem de expor para vocês que esse grupo está no momento de trabalhar sério, ser mais duro. São tantas barbaridades que a gente escuta que não pode ficar rindo. Não estamos aqui de brincadeira, com sonhos não se brincam. Sonho é coisa séria. Sonho de um país - afirmou o lateral, sobre o desejo de ser campeão do mundo.

Coletiva de Daniel Alves foi quente na tarde deste sábado na Granja (Ari Ferreira)

Nas últimas entrevistas da Seleção Brasileira, os jogadores têm sido questionados sobre a queda de rendimento do Brasil com relação à campanha do títulos da Copa das Confederações. Daniel mais uma vez foi duro.

- A gente não é a seleção da Copa das Confederações, nem devemos ser! Estamos na Copa. A competição é mais exigente. Não vamos ser a Seleção da Copa das Confederações. Estão todos os campeões aqui, tem de ser melhor do que na Copa das Confederações - declarou.

- Às vezes os resultados confundem, sabemos que a gente evoluiu. A gente vê nossos jogos 50 vezes. Criam debates em cima do que as pessoas pensam, e não da realidade. Se escutar muito, vamos sair do caminho traçado. É muita informação leiga, sem critério. Tem de fechar o olho, tapar o ouvido, as pessoas são muito pessimistas, negativismo tremendo - disparou o lateral-direito.