icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi
11/12/2013
22:08

O advogado Osvaldo Sestário, que representou a Portuguesa no julgamento do meia Héverton, na última sexta-feira, afirmou que passou ao clube  a informação de que o jogador havia recebido dois jogos de suspensão e não um, como foi entendido pela Lusa. O jogador entrou de forma irregular na partida do último domingo, contra o Grêmio, no Canindé, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Se for considerado culpado, o clube paulista perderá três pontos pela irregularidade mais a pontuação obtida no jogo contra o Tricolor gaúcho (um). Com quatro pontos a menos, a equipe será rebaixada e salvará o Fluminense, que terminou a competição em 17º lugar.

Sestário acredita que houve falha na comunicação interna do clube e disse que passou a informação ao departamento jurídico a punição dos dois jogos por telefone.

- Eu sou advogado da Portuguesa há nove anos. Na segunda-feira teve o julgamento do atacante Gilberto. A Portuguesa pediu para que eu tentasse reverter a pena para pagamentos com cestas básicas. A gente estava focado nisso. Na sexta, aconteceu o julgamento do Héverton e eu informei ao Valdir (advogado da Portuguesa) que havia sido dois jogos que ele tinha levado de punição. Tenho isso em todos os meus rascunhos, não falei em nenhum momento que foi apenas um. Não sei o que aconteceu, talvez, uma falha de comunicação ou esquecimento. É difícil você falar depois do ocorrido - disse Sestário em entrevista por telefone ao LANCE!Net.

- Existe uma urgência muito grande dos clubes para saber quais jogadores podem ser relacionados, então esse contato costuma ser por telefone. Eu costumo fazer por e-mail, mas no caso do Héverton foi apenas por telefone - completou.

Perguntado se a Portuguesa o havia cobrado após descobrir a irregularidade, o advogado disse que o contato do clube foi apenas para entender o que aconteceu e para, juntos, tentarem achar alguma solução. Porém, não será ele que estará à frente do caso na segunda-feira, quando haverá o julgamento pelo STJD.

- Estou o dia inteiro falando com eles. O contato foi para ver qual seria a solução. Sei que está mudando a diretoria, mas eles conhecem o meu trabalho há nove anos, estamos vendo algumas estratégias. Não irei defender o clube no caso, porque já tenho um compromisso fora do país, mas independente disso estou tentando ajudar - ressaltou.

Sestário enfatizou que não tem medo que sua carreira fique manchada pelo ocorrido e revelou que recebeu muitas mensagens de apoio de clientes e de pessoas ligadas ao esporte.

- Eu estou no ramo há muito tempo. Quem me conhece sabe da forma como eu trabalho. Recebi várias manifestações de apoio dos meus clientes, influentes no mundo do futebol e que conhecem o meu trabalho. Pode ser que aqueles que não me conheçam isso interfira de alguma maneira, mas estou muito tranquilo quanto a isso - finalizou.