icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/12/2013
16:25

O Valencia, um dos clubes mais tradicionais da Espanha, pode estar bem perto de se salvar. O time está mergulhado em dívidas e tinha pouco tempo para saldar algumas delas. E parece que o magnata Peter Lim, de Singapura, vai se encarregar disso, e ainda vai ser o novo proprietário do Che. Sua fortuna está estimada em R$ 3,8 bilhões, e ele é dono de 22,86% das ações da McLaren, montadora de automóveis que comanda a equipe homônima de Fórmula 1.

- Lim é um apaixonado por futebol. A raíz disso é o Bankia (banco público da Espanha). A empresa vai nos garantir 130 milhões de euros (R$ 423 milhões) para terminar o novo estádio. É um projeto real, não é fictício - disse Amadeo Silva, presidente do Valencia, em declarações reproduzidas pelo "Marca":

- O senhou Lim nos chamou e vem a Valência para se reunir com o conselho, presidente e vice-presidente da fundação. Lim se comprometeria a liquidar a dívida e criar uma equipe competitiva. Diante desta oferta, que é uma das duas ou três maiores ofertas de compra do mundo, nós nos vemos obrigados a chamar o Bankia.

O drama do Valência começou no início deste mês, quando o clube não conseguiu pagar uma dívida inferior aos R$ 10 milhões, e começou a haver enorme pressão para que alguma atitude como a vende do Che acontecesse. Em um primeiro momento, o Bankia parece favorável.

- A oferta de Lim parece extraordinária, mas deve ser submetida a um conselho de administração. Ele se colocou disponível para todas as partes: clube, Fundação, Bankia e governo. O banco pediu mais tempo, entre quatro a seis semanas, mas ele quer uma definição até 15 de janeiro, já que no fim do mês, encerra-se o mercado de transferências. É uma oportunidade histórica para o Valencia solucionar os seus problemas - disse um representante do Bankia.

Peter Lim, além de participar diretamente da McLaren, já tentou comprar o Atlético de Madrid e o Glasgow Rangers. Ele já fez trabalhos no passado com Manchester United e Liverpool, para explorar suas marcas na Ásia. Já na janela de inverno, ele pretende gastar entre 30 e 40 milhões de euros (R$ 97 milhões e R$ 130 milhões). Jorge Mendes, um dos principais empresários de futebol do mundo, que trabalha com Cristiano Ronaldo, Falcao García, José Mourinho, Di María e outros astros, também poderia participar de alguma forma.