icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
11/02/2015
18:54

Dr. NABIL GHORAYEB - cardiologista e médico do esporte do Hospital do Coração, e Especialista em Cardiologia da Academia LANCE!

A melhor decisão que Everton Costa teve foi por encerrar a carreira. Há uma norma da Sociedade Brasileira de Cardiologia na qual está determinado que pessoas que têm um Cardiodesfibrilador Implantável (CDI) em seu coração não podem praticar qualquer esporte de contato. 

Como o dispositivo está implantado em seu coração, qualquer pancada no peito, por menor que fosse, poderia causar riscos à saúde do jogador. O Cardiodesfibrilador Implantável poderia quebrar, sair de lugar e trazer novas complicações ligadas à arritmia cardíaca.

Além disto, o controle que o CDI traz ao coração de um paciente compromete o desempenho do atleta, por disparar choques a cada momento que é diagnosticada uma taquicardia. Imagina um jogador conviver com choques durante toda a partida? Seria uma temeridade o Everton Costa seguir jogando.