icons.title signature.placeholder Fábio Aleixo
05/11/2013
05:00

Juan Martín del Potro não digeriu bem a rouba de seus pertences pessoais na estação de trem da Gare du Nord, em Paris (FRA) no último sábado, antes de viajar à Inglaterra

Mesmo após vencer o francês Richard Gasquet em sua estreia nas Finais da ATP de Londres nesta segunda-feira, por 2 sets a 1, o argentino (5º do ranking mundial) demonstrou abatimento na coletiva de imprensa e revelou que sentiu dificuldade para se concentrar na partida.

- Entrei em quadra frustrado pelas coisas que aconteceram antes. É difícil desfrutar depois do que aconteceu no sábado. Eu gosto de jogar tênis, gosto do meu trabalho, mas alguém levou parte da minha vida. Ainda é algo muito recente - afirmou o argentino.

Entre os pertences roubados em sua mala, estavam o passaporte e um rosário benzido pelo papa Francisco que recebeu durante a disputa do Masters 1.000 de Roma (ITA), em maio.

- É duro pensar nisso, mas estou tentando levar. Uma das coisas (roubadas) é o Rosário, mas tinha outras coisas que significam muito para mim. Sempre é um prazer encontrar com o papa e espero ter esta possibilidade de novo no futuro. Ainda que não tenha fisicamente meu rosário, nunca vou esquecer do gesto dele me benzendo. Mas se puder ter alguma coisa benzida por ela, seria muito lindo - disse o argentino.

Por causa do estresse e da sequência de partidas que tem enfrentado, Del Potro pretende aproveitar os dois dias que terá de folga para descansar.

- Tenho dois dias livres e vou tratar de pensar o menos possível no tênis, para começar a desfrutar - concluiu.

O repórter viaja a convite da ATP