icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
06/07/2014
11:17

Desde 10 de agosto de 2010, quando Neymar estreou pela Seleção Brasileira nos 2 a 0 sobre os Estados Unidos, o Brasil jogou apenas seis partidas sem ele. Foram cinco vitórias e uma derrota. Os números, porém, podem ser enganosos.

No único jogo contra uma seleção de primeira grandeza, a França, o Brasil foi derrotado por 1 a 0, gol de Benzema. Robinho e Pato formaram o ataque. Hulk entrou no segundo tempo. Neymar não foi convocado pois os clubes brasileiros estavam em início de temporada e Mano Menezes só chamou "estrangeiros".

Os demais jogos foram contra adversários menores: Irã (3x0), Ucrânia (2x0), Gabão (2x0), Egito (2x0) e Dinamarca (3x1). Na partida mais recente, diante dos dinamarqueses, em 26 de maio de 2012, quem decidiu foi Hulk, com dois gols ainda no primeiro tempo – o volante Zimling fez um contra para o Brasil. Ele atuou ao lado de Leandro Damião, com Wellington Nem entrando no segundo tempo. A Seleção se preparava para a Olimpíada de Londres e atuou com jogadores com menos de 23 anos.


Foi Hulk quem decidiu o último jogo do Brasil sem Neymar (Foto: AFP)

Fred, o maior responsável pelos gols da Seleção de Felipão a partir de agora, não atuou em nenhuma das seis partidas sem Neymar. Na Copa, ele tem um gol em cinco jogos, o pior retrospecto de um centroavante brasileiro na história dos Mundiais.

Felipão ainda não sabe o que fará sem o camisa 10 (veja mais no texto ao lado). Depois do jogo contra a Colômbia, na Arena Castelão, em Fortaleza, ele lembrou do desgaste que o time já tivera diante do Chile, no dia 28/6. A semifinal contra a Alemanha será na próxima terça-feira.

– Vou estudar, analisar, precisamos de tempo. Dependo da recuperação dos jogadores, do ambiente desses dois, três dias que teremos até a próxima partida. Foram duas decisões cansativas, de 120 minutos nas oitavas de final e, contra a Colômbia, com os 20 minutos finais bem mais difíceis do que a gente esperava. Então, vamos esperar – disse o técnico.

JOGOS DO BRASIL SEM NEYMAR DESDE A COPA DE 2010

7/10/2010
Brasil 3 x 0 Irã
Local: Zayed Sport City, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos
Árbitro: Farid Ali (Emirados Árabes)
Gols: Daniel Alves (14’/1T), Pato e Nilmar (39’/2T)
IRÃ: Mehdi Rahmati; Khosro Heydari, Jalal Hosseini, Mohammad Nosrati e Ehsan Hajsafi; Andranik Teymourian, Pejman Nouri (Milad Meydavoudi), Javad Nekounam e Masoud Shojaei (Karim Bagheri); Milad Zanidpour (Iman Mobali) e Mohammad Gholami (Karim Ansarifard)
Técnico: Afshin Ghotbi
BRASIL:  Victor; Daniel Alves, Thiago Silva (Réver), David Luiz e André Santos; Lucas (Wesley), Ramires (Sandro) e Carlos Eduardo (Giuliano); Robinho (Nilmar), Alexandre Pato e Philippe Coutinho (Elias)
Técnico: Mano Menezes

11/10/2010
Brasil 2 x 0 Ucrânia
Local: Pride Park Stadium, em Derby (Inglaterra)
Árbitro: Martin Atkinson (Inglaterra)
Gols: Daniel Alves (24’/1T) e Alexandre Pato (19’/2T).
BRASIL: Victor; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos (Adriano); Lucas, Ramires (Sandro), Elias (Wesley) e Carlos Eduardo (Giuliano); Robinho (André) e Alexandre Pato (Nilmar)
Técnico: Mano Menezes
UCRÂNIA: Dikan; Romanchuk, Kucher, Fedetskiy e Mandziuk; Tymoschuk, Polyovyi (Gai), Aliev, Rotan e Gusiev (Khudobiak); Milevskyi (Seleznyov).
Técnico: Yuriy Kalitvintsev.

9/2/2011
França 1x0 Brasil
Local: Stade de France, em Saint-Denis (França)
Árbitro: Wolfgang Stark (Alemanha)
Cartões Vermelhos: Hernanes (BRA)
Gols: Benzema (8’/2T)
FRANÇA: Lloris; Sagna, Rami, Mexes e Abidal; Diarra, M'Vila (Diaby), Gourcuff (Cabaye) e Malouda; Menez (Remy) e Benzema (Gameiru)
Técnico: Laurent Blanc
BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Elias (André), Hernanes e Renato Augusto (Jadson); Robinho (Sandro) e Alexandre Pato (Hulk)
Técnico: Mano Menezes

10/11/2011
Gabão 0x2 Brasil
Local: Estádio Nacional D'Angondjé, em Libreville (Gabão)
Árbitro: Victor Hlungwani (África do Sul)
Gols: Sandro (11’/1T) e Hernanes (34’/1T)
GABÃO: Ebang; Moudonga, Manga, Ebanega, Moussono; Palun (Moubamba), Madinda, Biyongho (Mbanangoy), Aubameyang; Meye (Daniel Cousin) e Moulongui (N'Guéma)
Técnico: Gernot Rohr
BRASIL: Diego Alves; Fábio (Alex Sandro), Luisão, David Luís e Adriano; Sandro (Lucas Leiva), Elias, Hernanes e Bruno Cesar (William); Jonas (Dudu) e Hulk (Kleber)
Técnico: Mano Menezes

14/11/2011
Brasil 2 x 0 Egito
Local: Estádio Al Rayyann, em Doha (Catar)
Data: 14 de novembro de 2011, segunda-feira
Horário: 15 horas(de Brasília)
Árbitro: Banjar Al Dosari-CAT
Gols: Jonas (37’/1T) e (13’/2T)
BRASIL: Diego Alves; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Alex Sandro; Lucas Leiva, Fernandinho (Elias), Hernanes e Bruno César (William); Jonas (Kléber) e Hulk (Dudu)
Técnico: Mano Menezes
EGITO: El Shenawy; Fathi, Gomaa (Ahmed Said Oka), Hegazy e Nasef; Abd Rabo (Ahmed Hassan), Ghaly (Salah), Rakez (Said) e Elmehamady; Motaeb (El-Gabbas) e Mohamed Zidan (Suleimán)
Técnico: Bob Bradley

26/5/2012
Brasil 3 x 1 Dinamarca
Local: Imtech Arena, em Hamburgo (Alemanha)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Gols: BRASIL: Hulk (7’/1T), Zimling contra (12’/1T), Hulk (39’/2T) e Bendtner (25’2T).
BRASIL: Jefferson; Danilo (Rafael), Thiago Silva, Juan e Marcelo (Alex Sandro); Sandro (Casemiro), Rômulo, Oscar e Lucas (Giuliano); Hulk (Bruno Uvini) e Leandro Damião (Wellington Nem)
Técnico: Mano Menezes
DINAMARCA: Sorensen (Andersen); Wass, Kjaer, Agger e Simon Poulsen; Christian Poulsen (Jakob Poulsen), Zimling, Eriksen (Rommedahl) e Schone (Kahlenberg); Krohn-Dehli (Pedersen) e Bendtner
Técnico: Morten Olsen