Seleção de Tiro com Arco entra na Vila Olímpica domingo, dia 24

Seleção de Tiro com Arco chega nesta domingo à Vila Olímpica (Foto: Jonne Roriz/Exemplus/COB)

LANCE!
22/07/2016
18:52
Rio de Janeiro

Uma das primeiras modalidades brasileiras a inaugurar a Vila Olímpica neste domingo, dia 24, o Tiro com Arco segue em ritmo de preparação no Centro de Capacitação Física do Exército, na Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro. Com seis arqueiros – três mulheres e três homens, a meta é conquistar um bom resultado nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

O caçula da delegação é Marcus D´Almeida, atleta do Time Petrobrás. Aos 17 anos, ele é um dos fenômenos do esporte. Foi medalha de bronze por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015; ouro individual e bronze por equipes no Campeonato Mundial Júnior de Tiro com Arco de 2015, em Yankton, Estados Unidos; vice-campeão da Copa do Mundo Adulta de Tiro com Arco de 2014 e prata nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2014, em Nanquim, na China.

O grupo vem também embalado pelo quarto lugar por equipes conquistado na Copa do Mundo da Turquia, em junho, o que comprova o desenvolvimento do trabalho desde os Jogos de Londres 2012.

- Tivemos o privilégio de treinar na Cidade Olímpica desde o final de janeiro, já sentindo o clima e o ambiente dos Jogos. A classificação na Turquia confirma o bom nível internacional do Tiro com Arco brasileiro. Ficamos com um gostinho de chegar bem perto da medalha. Não somos favoritos, vamos disputar os Jogos sem pressão, mas conscientes de que temos chances de brigar por um bom resultado - comentou o arqueiro brasiliense Bernardo Oliveira, de 23 anos.

Único atleta da equipe que já disputou os Jogos Olímpicos em Londres-2012, o experiente Daniel Xavier, de 33 anos, natural de Belo Horizonte (MG), diz que o grupo vem trabalhando para minimizar o impacto da entrada na Vila.

- Tudo é muito diferente, uma outra atmosfera - comenta, acrescentando que é o momento de se despedir da Urca, onde treinam há seis meses.

- Aqui tivemos uma ótima estrutura e isso certamente se refletiu no nosso recente desempenho na Copa do Mundo - conta Daniel, que também integrou o grupo medalhista de bronze nos Jogos Pan-americanos de Toronto, em 2015.

Já no feminino, a carioca Ane Santos, de 22 anos, comemora a boa fase do treinamento, e embora não considere o recente 23º lugar na Copa do Mundo da Turquia um bom resultado entre as 49 equipes participantes, garante que o grupo está confiante.

- Vamos dar o máximo para melhorar o nosso desempenho. Pessoalmente, estou segura de que posso bater meu recorde de pontuação.

O técnico mineiro Evandro de Azevedo, que treina a seleção desde 2015, lembra que os coreanos, pela tradição, são os favoritos ao título por equipes tanto no masculino como no feminino.

- Mas acho que os nossos principais adversários somos nós mesmos. Precisamos apenas ter consciência e tranquilidade para realizar um bom trabalho, que vem evoluindo muito desde a última edição dos Jogos - destaca.

O Tiro com Arco brasileiro começou a participar dos Jogos Olímpicos em 1980, sem jamais conquistar uma medalha no esporte. O melhor resultado alcançado foi justamente em Moscou 1980, com o arqueiro Renato Emílio, que ficou em 27º lugar. A partir dos Jogos de Seul 1988, a disputa por equipes foi incluída na programação.