LANCE!
31/10/2017
16:55
Rio de Janeiro

Jorge Luís Andrade da Silva, o Andrade, participou da época de ouro da história do Flamengo e tem um currículo invejável: três títulos de campeão brasileiro com o clube da Gávea (1980, 1982, 1983); quatro títulos estaduais (1979, 1979 (Especial), 1981 e 1986), além das conquistas da Libertadores e do Mundial em 1981. Comemorou ainda mais um Brasileiro na sua carreira, pelo Vasco, em 1989. É um autêntico craque TIM 4G do passado e um dos homenageados pela TIM, patrocinadora dos quatro grandes clubes cariocas.

O currículo acima como jogador do Flamengo, por si só, já seria suficiente para elevar o carioca nascido em 21 de abril de 1957 à categoria de ídolo rubro-negro. Mas, em 2009, ele, já como treinador, levou o Flamengo novamente à conquista do Brasileiro, comandando nomes de peso como Adriano e Petkovic.

Andrade foi um volante de muita técnica, firmeza na marcação e de boa visão de jogo, capaz de fazer longos e certeiros lançamentos. Foi, de certa forma, injustiçado, já que não teve muitas chances na Seleção Brasileira. Fez, no total, 13 jogos com a Amarelinha e marcou apenas um gol, num amistoso contra a Áustria, em Viena, em 1988. No esquadrão que o Flamengo montou no fim dos anos 70 - com Raul, Zico, Nunes, Leandro, Adílio, Tita, Mozer, Junior e companhia -, ele era o responsável por ditar o ritmo de jogo e começar as jogadas.

Ele defendeu Flamengo por dez anos, de 1977 a 1987. Fez 566 jogos com a camisa rubro-negra (com 329 vitórias, 138 empates e 99 derrotas) e marcou 28 gols. Depois do Fla, transferiu-se para a Roma, mas permaneceu na Europa apenas um ano e retornou ao futebol carioca. O destino, no entanto, foi o rival Vasco, onde garantiu o Brasileiro, como reserva, no time comandado pelo técnico Nelsinho Rosa.

Na sequência, Andrade passou por times de menor expressão, como Internacional de Lajes (SC), Desportiva (ES), Operário (MT) - onde foi bicampeão estadual (1993/1994) -, Bacabal (MA), Barreira (RJ) e Bangu, onde encerrou a carreira, em 1999.

Depois de pendurar as chuteiras como jogador, Andrade trabalhou vários anos no Flamengo, desenvolvendo diversas funções no departamento técnico. Era uma espécie de técnico interino permanente. Sempre que algum treinador era demitido, tapava o buraco antes de o substituto ser contratado. Em 2008, assumiu o posto de auxiliar. No ano seguinte, em julho, foi novamente promovido a interino após a saída de Cuca. Mas, como os bons resultados começaram a aparecer, foi mantido no cargo e acabou entrando para a história como técnico da conquista do Brasileiro de 2009.

Deixou o cargo em 2010 e, curiosamente, apesar do feito, não teve mais propostas paras treinar clubes de expressão. Passou por times como Paysandu, Brasiliense, Duque de Caxias, Boavista, São João da Barra, Jacobina e, desde março deste ano, está no Petrolina, clube da Segunda Divisão do Campeonato Pernambucano.

Patrocinadora de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, a TIM homenageará até o fim de 2017 jogadores do passado dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, que, de forma geral, apresentaram os atributos “G” (Garra, Gênio, Gigante, Grandeza) quando atuavam. Periodicamente, contaremos um pouco da história destes craques e o motivo deles terem sido escolhidos. Afinal, os quatro maiores times cariocas merecem a maior cobertura 4G do Rio e as melhores histórias para serem compartilhadas.