LANCE!
13/06/2017
17:55
Rio de Janeiro 

Geraldo Pereira de Matos Filho, mais conhecido como Mazaropi, foi um goleiro marcante para a história do Vasco - onde foi campeão carioca (1977 e 1982) e atuou entre 1973 e 1979, e depois de 1980 a 1982. Notabilizou-se por defender pênaltis em jogos importantes, principalmente contra o maior rival, o Flamengo, o que o credencia como um dos homenageados pela TIM, patrocinadora dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, como craque TIM 4G do passado.

O apelido Mazaropi - nome de um humorista famoso na época, que encarnava o caipira do interior - foi dado pelo jogador vascaíno Brito, assim que ele chegou ao Gigante da Colina, em 1970, vindo da cidade mineira de Além Paraíba. Com seu jeito simples, de poucas palavras e roupas simples, o apelido logo pegou. Mazaropi atuou nas categorias de base do clube e começou a ficar na reserva de Andrada em 1973. Participou do grupo que foi campeão brasileiro em 1974, como suplente em alguns jogos. Tornou-se titular com a saída do goleiro titular, em 1975.

Uma das atuações mais memoráveis de Mazaropi foi na final da Taça Guanabara de 1976, contra o Flamengo. A partida terminou empatada em 1 a 1 no tempo normal e não houve gols na prorrogação. A decisão foi para os pênaltis. O Rubro-Negro vencia por 4 a 3 quando Zico colocou a bola na marca da cobrança. Silêncio no Maracanã, abarrotado com a presença de 133 mil torcedores. O chute do Galinho, no entanto, parou nas mãos de Mazaropi, dando sobrevida ao Gigante da Colina. Na sequência, Roberto Dinamite converteu, empatando a decisão em 4 a 4. Geraldo chutou para os rubro-negros e, novamente, Mazaropi impediu o triunfo rival. O gol do título que o Cruz-Maltino não conquistava desde 1965 saiu dos pés de Luis Augusto: 5 a 4 na disputa dos pênaltis e festa vascaína na arquibancada.

Em 1977, Mazaropi foi campeão carioca e, dois anos depois, foi emprestado para o Coritiba, onde também foi campeão estadual. Retornou ao Cruz-Maltino em 1980, sagrando-se campeão carioca novamente em 1982. Mazaropi faz parte do hall dos recordes do Vasco como o goleiro que mais tempo ficou sem sofrer gols até hoje - 1.816 minutos invictos, entre 18 de maio e 7 de setembro de 1977.
Em 1983, transferiu-se para o Grêmio, onde também foi ídolo. Chegou às semifinais da Libertadores, contra o América de Cali, na Colômbia, e justificou sua contratação: defendeu o pênalti que, se convertido, eliminaria o Tricolor gaúcho da competição. O Grêmio foi campeão da competição sul-americana e do Mundial Interclubes no mesmo ano. Foi ainda hexacampeão gaúcho (1985-1990) e campeão da Copa do Brasil, em 1989. Também foi campeão pernambucano com a camisa do Náutico, em 1984.

Mazaropi encerrou a carreira no Guarany de Bagé (RS) e virou preparador de goleiros do Grêmio, chegando a atuar dez anos no Japão na nova profissão.

Patrocinadora de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, a TIM homenageará até o fim de 2017 jogadores do passado dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, que, de forma geral, apresentaram os atributos “G” (Garra, Gênio, Gigante, Grandeza) quando atuavam. Periodicamente, contaremos um pouco da história destes craques e o motivo deles terem sido escolhidos. Afinal, os quatro maiores times cariocas merecem a maior cobertura 4G do Rio e as melhores histórias para serem compartilhadas.