Marcelo Melo Bruno Soares

Marcelo Melo Bruno Soares. Crédito: Fotojump

TÊNIS NEWS
20/02/2016
23:02
Rio de Janeiro (RJ)

Os brasileiros Bruno Soares e Marcelo Melo, respectivos décimo e primeiro do ranking de duplas, foram surpreendidos neste sábado na semifinal do Rio Open diante dos espanhois Pablo Carreno e David Marrero por 6/2 3/6 10/7.

Após a queda por 6/2 3/6 10/7, Bruno lamentou a baixa produção no saque e no jogo como um todo e novamente apontou não estar adaptado com as bolas do evento: "A semana inteira meu primeiros saque não entrou. Hoje não foi diferente não sei porque. Não sei a explicação disso. Não acho que a gente jogou mal os outros games tirando meus dois saques no 1o set. No 2o set a gente conseguiu manter meu saque e colocamos um pouco de pressão neles. No final do 2o set a gente encaixou nosso jogo. A bola aqui fica rápida, voa demais, é dificil ter controle da situação. pontos muito curtos. no tie-break a gente nao jogou mal, mas nao fizemos por merecer, fizemos duas duplas faltas, não executamos bem alguns pontos. No geral, não foi um bom jogo, mas faltou um detalhezinho", disse Bruno.

Marcelo está ciente da pressão que os brasileiros sofrem por ser uma dupla favorita na Olimpíada e com título dele em Roland Garros e de Soares no Australian Open: "A gente sabe que teria esse tipo de cobrança. A gente perdeu semifinal de Masters 1000, também é precoce julgar se vamos jogar um torneio a mais ou a menos. Devemos jogar um ou dois, mas nenhuma decisão por causa do jogo de hoje, foi decidido nos detalhes".

Bruno partilha da mesma opinião e lamenta outra derrota na semi na capital carioca: "Não muda nada. A verdade é que a gente deu nosso melhor, jogamos bem, jogamos mal, esse é o dia a dia do tenista. Nem toda semana são flores. São Paulo são novas condições, vamos tentar fazer nosso melhor, nosso jogo. Perdemos para uma dupla boa, que jogou melhor que a gente. Vamos seguir em frente. a gente está jogando para tentar pegar ritmo para as Olimpíadas, mas também para resultado, é um ATP 500 e não deu. Bateu na trave de novo, três anos, três semis".

Soares também comentou a evolução da dupla de Marcelo Demoliner com Thomaz Bellucci que já soma uma final em Quito e semi no Rio de Janeiro: "Eles estão colhendo frutos por insistirem em jogar juntos. Eles estão se entrosando e isso é importante para melhorar rendimento. Está mais uma dupla, um entende a preferência do outro. O André Sá também teve bons resultados ano passado. É importante para gente se conseguir ter cinco caras brigando por bons resultados. Isso acrescenta e melhora para o tênis''.