Roger Federer no IPTL em Nova Délhi

Roger Federer (Crédito: Divulgação)

TÊNIS NEWS
24/01/2016
13:36
MELBOURNE (AUS)

Roger Federer falou com a imprensa após sua vitória contra David Goffin, que o qualificou para enfrentar Tomas Berdych em sua 47ª quartas de final em um Grand Slam. Ele comentou a atuação contra o belga e projetou o próximo duelo.

“Uma boa partida [contra Goffin]. Estou surpreso que tenha acabado tão rápido [1h28min]. Vencer os dois primeiros sets em 50 minutos é a melhor coisa que pode acontecer numa quadra, especialmente num jogo que começou tão tarde [22:30, no horário australiano] e contra um jogador de qualidade. Então, fiquei muito feliz”.

“Foi importante continuar jogando bem durante a partida, manter o jogo agressivo e finalizar em três sets. Eu consegui fazer essas coisas. Por isso, fiquei bastante satisfeito. Houve alguns ótimos momentos dos quais posso me aproveitar bastante. Fiquei feliz por, após o jogo contra o Dimitrov, que não foi tão direto, não foi muito fácil, poder elevar meu nível”.

Sobre sua décima segunda quartas de final de Australian Open, que será na terça feira, contra o tcheco Tomas Berdych, 6º da ATP, Federer analisou. “Terei que jogar bem. Penso que a quadra é boa pra ele; esta quadra rápida, com o quique da bola reto, é a boa para seu serviço e suas devoluções. A quadra está rápida”.

“Acho que me dei bem contra ele até agora. Mas, novamente: não jogamos tantas vezes [foram 21 confrontos, com 15 vitórias para o suíço e 6 para o tcheco]. Ele jogou muito bem aqui, no ano passado [Berdych fez semifinal, batendo Rafael Nadal nas quartas], em condições exatamente iguais a deste ano. Fiquei impressionado com a forma como jogou contra Nick Kyrgios; hoje, contra Bautista Agut, não assisti tanto. Mas tratou-se de jogar em uma quadra diferente, mudar para a sessão diurna, derrotar um jogador com estilo diferente, em cinco sets. Tenho certeza que isso lhe dá muita confiança, mesmo que o placar não sugira isto. Penso que ele está exatamente onde quer, irá recuperar-se [fisicamente] e dificultar muito a partida para mim. Disso, não tenho dúvidas”, continuou Federer.

“Será um grande jogo. Nós dois jogaremos de forma agressiva, e está quadra o recompensa quando você joga um tênis bom e agressivo”, finalizou.

O suíço ainda recriminou o jornalista que o perguntou sobre a ‘má atuação’ de Novak Djokovic no dia de hoje. O sérvio suou por 4h33min para bater o francês Gilles Simon. Federer disse que Nole não jogou o seu melhor, obviamente, mas perguntou ao homem com qual regularidade ele vê o francês jogar. Para Federer, ele é um dos maiores corredores e devolvedores do circuito e sempre complica grandes jogadores com sua maneira inteligente de jogar. Por isso, não é justo que as pessoas apenas lembrem de um dia que não foi o melhor do sérvio, mas também deem o merecido mérito para Simon.

Goffin, por sua vez, disse que "esperava uma partida em alto ritmo, com um grande número de winners [por parte do suíço]", mas que "não no nível em que aconteceu". Ele ainda disse que foi difícil jogar na Rod Laver Arena, pois era sua primeira vez na quadra. "Foi difícil achar o tempo de bola no fundo da quadra. Ele estava jogando muito bem desde o início, e isso fez a diferença. Quando você começa a se sentir bem numa quadra depois de dois sets e uma quebra abaixo [como foi o caso dele hoje, segundo Goffin], é difícil voltar no jogo".