icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
21/08/2015
21:42

Irmão de Teliana Pereira, primeira top 50 doBrasil após três décadas, José Pereira, sexto melhor do Brasil, mostrou bom físico para superar rodada dupla e se garantir na semifinal do IV Belém Tennis Future, torneio de tênis da mais alta categoria future com premiação de US$ 15 mil mais hospedagem, jogado nas quadras rápidas do Grêmio Literário e Recreativo Português (Rodovia Augusto Montenegro km 10, s/n). O torneio tem entrada gratuita ao público e é o mais forte da história com 35 pontos ao campeão no ranking mundial da ATP.



 

José Pereira, 243º colocado e segundo favorito ao título do torneio, bateu pela manhã Augusto Laranja por 6/1 6/2 debaixo de sol forte e na parte da tarde voltou para derrotar André Miele, sexto cabeça de chave, por 6/1 7/5: "Complicado suportar rodada dupla com o calor que fez hoje, tem hora que você tenta se esconder em um lugar para escapar um pouco do sol, mas faz parte do nosso esporte. Miele é um cara que varia muito e fica nos pontos, então foram pontos muito longos. Consegui jogar muito bem o primeiro set na segunda partida, abri uma quebra no segundo, não sei muito bem o que houve ali, ele também voltou mais firme, e ali no fim depois de confirmar no 5/5 consegui a quebra e foi".

Zé Pereira, que foi sparring de Rafael Nadal  durante o Rio Open em fevereiro e ganhou um presente do espanhol, jogará pela terceira vez uma semifinal na capital paraense e enfrenta Daniel Dutra Silva, sétimo favorito, que vencia Ricardo Hocevar por 4/6 6/2 2/0 quando o quarto favorito abandonou com dores no joelho direito: "Foi uma pena, estava jogando bem, a partida tava dura, mas de certa forma estava controlando, daí no começo do segundo set em um ponto machuquei o joelho, e o jogo acabou pra mim, tentei de todo jeito continuar, saquei com apoio em um pé só, mas não tinha mais como. Agora vamos tratar pra melhorar isso", disse Hocevar que venceu por duas vezes torneios em Belém, em 2012 e 2014.

Sobre seu duelo deste sábado contra Daniel, Zé Pereira pontuou: "É mais um jogador que alonga os pontos, fica firme neles. A diferença é que ele não varia tanto igual ao Miele, mas fica sólido. Mais um jogo duro, nunca passei da semifinal aqui, quando entrei nesse torneio coloquei como meta quebrar essa barreira e buscar essa final. Mas tenho uma semi bem dura amanhã".

A grande surpresa do dia foi a eliminação do principal favorito e 191º colocado, Christian Lindell, carioca que mora e treina no Rio de Janeiro, mas atua pela Suécia. Após vencer sua primeira partida contra Igor Marcondes por 7/6 (10/8) 6/1, Lindell teve problemas com o calor e acabou levando a virada de seu parceiro de treinos e oitavo cabeça de chave, Carlos Eduardo Severino, caindo por 6/7 (7/3) 6/3 6/0: "Foi uma vitória no físico. Ele já tinha jogado uma partida no dia, então entrou desgastado e eu zerado. Sabia que poderia aguentar um pouco mais que ele se o jogo se alongasse. Foi uma pena que ele caiu de produção do meio pro final pois estava uma boa partida e nós jogávamos bem. Independente disso venho fazendo um bom torneio, gosto de jogar no piso rápido, nestas condições daqui e estou feliz", apontou o tenista que encara o terceiro favorito, o equatoriano Emilio Gomez, 357º colocado: "Nunca o enfrentei, não conheço muito seu jogo, mas vou me informar e montar uma boa tática para buscar essa vaga na final. Estou me sentindo confiante".

Lindell lamentou a derrota: "Até consegui jogar bem no primeiro set, mas já ali no 4/3 não aguentava mais, senti dores ao longo do jogo, cãibras e infelizmente não consegui render o que podia".

Emilio Gomez, filho de Andres Gomez, campeão de Roland Garros em 1990, não teve trabalho para superar o português quinto cabeça de chave, João Domingues, por 6/1 6/3 na quadra central: "Foi um ótimo jogo. Me senti muito bem em quadra, mais confortável e acostumado com as condições do que nos outros dias. Ali no segundo set talvez cansado pelo calor e pelos pontos longos baixei um pouco, mas recuperei logo", disse o tenista: "É muito bom poder jogar bem, o adversário tinha um alto nível e consegui subir meu nível de tênis, o que é importante".

A semifinal acontece neste sábado às 10h30 com dois jogos simultâneos na quadra central e 1 e a decisão de duplas a partir das 15h entre Emilio Gomez/Igor Marcondes (EQU/BRA), terceira melhor dupla do evento, e André Miele/Alexandre Tsuchiya (BRA), principais cabeças de chave. A decisão está prevista para o domingo a partir das 10h.

 

Programação deste Sábado (22/08):

Quadra Central

10h30 - (3) Emilio Gomez (EQU) x (8) Carlos Severino (BRA)

15h - André Miele/Alexandre Tsuchiya (BRA) x Emilio Gomez/Igor Marcondes (EQU/BRA)

Quadra 1

10h30 - (2) José Pereira (BRA) x (7) Daniel Silva (BRA)

Irmão de Teliana Pereira, primeira top 50 doBrasil após três décadas, José Pereira, sexto melhor do Brasil, mostrou bom físico para superar rodada dupla e se garantir na semifinal do IV Belém Tennis Future, torneio de tênis da mais alta categoria future com premiação de US$ 15 mil mais hospedagem, jogado nas quadras rápidas do Grêmio Literário e Recreativo Português (Rodovia Augusto Montenegro km 10, s/n). O torneio tem entrada gratuita ao público e é o mais forte da história com 35 pontos ao campeão no ranking mundial da ATP.



 

José Pereira, 243º colocado e segundo favorito ao título do torneio, bateu pela manhã Augusto Laranja por 6/1 6/2 debaixo de sol forte e na parte da tarde voltou para derrotar André Miele, sexto cabeça de chave, por 6/1 7/5: "Complicado suportar rodada dupla com o calor que fez hoje, tem hora que você tenta se esconder em um lugar para escapar um pouco do sol, mas faz parte do nosso esporte. Miele é um cara que varia muito e fica nos pontos, então foram pontos muito longos. Consegui jogar muito bem o primeiro set na segunda partida, abri uma quebra no segundo, não sei muito bem o que houve ali, ele também voltou mais firme, e ali no fim depois de confirmar no 5/5 consegui a quebra e foi".

Zé Pereira, que foi sparring de Rafael Nadal  durante o Rio Open em fevereiro e ganhou um presente do espanhol, jogará pela terceira vez uma semifinal na capital paraense e enfrenta Daniel Dutra Silva, sétimo favorito, que vencia Ricardo Hocevar por 4/6 6/2 2/0 quando o quarto favorito abandonou com dores no joelho direito: "Foi uma pena, estava jogando bem, a partida tava dura, mas de certa forma estava controlando, daí no começo do segundo set em um ponto machuquei o joelho, e o jogo acabou pra mim, tentei de todo jeito continuar, saquei com apoio em um pé só, mas não tinha mais como. Agora vamos tratar pra melhorar isso", disse Hocevar que venceu por duas vezes torneios em Belém, em 2012 e 2014.

Sobre seu duelo deste sábado contra Daniel, Zé Pereira pontuou: "É mais um jogador que alonga os pontos, fica firme neles. A diferença é que ele não varia tanto igual ao Miele, mas fica sólido. Mais um jogo duro, nunca passei da semifinal aqui, quando entrei nesse torneio coloquei como meta quebrar essa barreira e buscar essa final. Mas tenho uma semi bem dura amanhã".

A grande surpresa do dia foi a eliminação do principal favorito e 191º colocado, Christian Lindell, carioca que mora e treina no Rio de Janeiro, mas atua pela Suécia. Após vencer sua primeira partida contra Igor Marcondes por 7/6 (10/8) 6/1, Lindell teve problemas com o calor e acabou levando a virada de seu parceiro de treinos e oitavo cabeça de chave, Carlos Eduardo Severino, caindo por 6/7 (7/3) 6/3 6/0: "Foi uma vitória no físico. Ele já tinha jogado uma partida no dia, então entrou desgastado e eu zerado. Sabia que poderia aguentar um pouco mais que ele se o jogo se alongasse. Foi uma pena que ele caiu de produção do meio pro final pois estava uma boa partida e nós jogávamos bem. Independente disso venho fazendo um bom torneio, gosto de jogar no piso rápido, nestas condições daqui e estou feliz", apontou o tenista que encara o terceiro favorito, o equatoriano Emilio Gomez, 357º colocado: "Nunca o enfrentei, não conheço muito seu jogo, mas vou me informar e montar uma boa tática para buscar essa vaga na final. Estou me sentindo confiante".

Lindell lamentou a derrota: "Até consegui jogar bem no primeiro set, mas já ali no 4/3 não aguentava mais, senti dores ao longo do jogo, cãibras e infelizmente não consegui render o que podia".

Emilio Gomez, filho de Andres Gomez, campeão de Roland Garros em 1990, não teve trabalho para superar o português quinto cabeça de chave, João Domingues, por 6/1 6/3 na quadra central: "Foi um ótimo jogo. Me senti muito bem em quadra, mais confortável e acostumado com as condições do que nos outros dias. Ali no segundo set talvez cansado pelo calor e pelos pontos longos baixei um pouco, mas recuperei logo", disse o tenista: "É muito bom poder jogar bem, o adversário tinha um alto nível e consegui subir meu nível de tênis, o que é importante".

A semifinal acontece neste sábado às 10h30 com dois jogos simultâneos na quadra central e 1 e a decisão de duplas a partir das 15h entre Emilio Gomez/Igor Marcondes (EQU/BRA), terceira melhor dupla do evento, e André Miele/Alexandre Tsuchiya (BRA), principais cabeças de chave. A decisão está prevista para o domingo a partir das 10h.

 

Programação deste Sábado (22/08):

Quadra Central

10h30 - (3) Emilio Gomez (EQU) x (8) Carlos Severino (BRA)

15h - André Miele/Alexandre Tsuchiya (BRA) x Emilio Gomez/Igor Marcondes (EQU/BRA)

Quadra 1

10h30 - (2) José Pereira (BRA) x (7) Daniel Silva (BRA)