Paula Gonçalves

Divulgação

Tênis News
19/12/2016
17:49
Campinas (SP)

A campineira Paula Gonçalves, 167a. da WTA, embarca nesta semana para a Nova Zelândia e Austrália para disputar os seus primeiros torneios do ano, o quali do WTA de Auckland, e do primeiro Grand Slam do ano, o Australian Open, em Melbourne.

"Estou preparada e muito animada, este é o meu melhor momento, e espero conseguir bons resultados. Meu objetivo é conseguir chegar entre as 100 melhores do Mundo, garantir a entrada na chave principal dos maiores torneios, e melhorar a cada semana."

Em 2016, Paula teve um grande impulso no Rio Open, que era um WTA 250 (em 2017 o torneio será somente masculino), quando disputou o qualy, entrou na chave principal, e chegou até as quartas-de-final. Em seguida, fez uma semifinal no WTA de Bogotá. Estes resultados fizeram-na decidir por focar no seu ranking de simples, e este impulso a classificaram para disputar os qualies dos 3 Grand Slams, Roland Garros, Wimbledon e US Open.

"Fazendo um balanço do ano da Paula, 2016 foi positivo por ela ter alcançado o seu melhor ranking (158a.) em apenas 16 torneios, mas com certeza pode ser melhor. Vejo que ela cresceu e amadureceu, e isto se refletirá em 2017"- diz Carlos Alberto Kirmayr, que a selecionou aos 14 anos para integrar a equipe do Institutlo LOB do Tênis Feminino, e a treina desde então.

Paula concorda com Kirmayr: "O ano de 2016 foi maravilhoso pelo Rio Open, WTA de Bogotá e pela convocação para a Olimpíada. Poderia ser melhor, mas cheguei com muitas expectativas nos qualies de Roland Garros, Wimbledon e US Open, e por nervosismo não conseguí jogar o meu melhor tênis. Mas valeu a experiência pois me abriu os olhos para ver que as jogadoras dos Grand Slams são exatamente as mesmas que enfrento em outros torneios.".

Desde julho, Paula conta também com um reforço importante, o preparador físico Marcelo Prata, que mudou-se de Brasilia para o Centro de Treinamento Kirmayr em Serra Negra. "Marcelo é um grande motivador, exigente, e trouxe muita energia positiva para a nossa equipe toda"- conta Kirmayr, e completa - "Ele foi fundamental para a rápida recuperação da lesão no joelho que Paula sofreu no ITF Challenger de Las Vegas em outubro, e a sua volta aos torneios, em dezembro, foram a coroação de muita determinação e trabalho bem feito".