Coletiva do Marcelo Melo (Foto: Reginaldo Castro/LANCE!Press)

Marcelo Melo está na liderança do ranking mundial nas duplas  (Foto: Reginaldo Castro/LANCE!Press)

Guilherme Cardoso
24/11/2015
14:48
São Paulo (SP)

Seis títulos, 54 vitórias, 17 derrotas e a primeira colocação do ranking de duplas da ATP. É com esse desempenho que o brasileiro Marcelo Melo terminou a temporada de 2015, a melhor de sua carreira. Aos 32 anos, o tenista está de volta ao Brasil após disputar os últimos torneios do ano na Ásia e na Europa. E logo ao embarcar para o país, vindo de Londres (ING), já percebeu as diferenças de ser o melhor do mundo.

- Já pude sentir quando entrei no avião para voltar, que é o lugar onde você encontra mais brasileiros. Foi parecido com o momento quando ganhei Roland Garros, mas com proporções maiores. O reconhecimento de várias pessoas mudou muito. Até mesmo daquelas que não têm tanto conhecimento do tênis, mas sabem o que eu acabei fazendo. Elas ligam ao fato de ser uma conquista inédita e difícil de ser alcançada - afirmou o atleta durante entrevista coletiva na loja Centauro, uma de suas patrocinadoras, em um shopping na Zona Oeste de São Paulo.

- Em Belo Horizonte, fui reconhecido por pessoas. Muitos perguntaram o que é ser o número 1. Quando você está fora do país, não realiza tanto, porque o circuito é o mesmo. Eu e meu irmão temos essa noção. Mas os outros tenistas estão acostumados. Quando chega em casa, aí imagina. Meu pai me olha às vezes e pergunta se sou eu mesmo - completou.

Entre os principais títulos da temporada, Melo faturou o Grand Slam de Roland Garros e os Masters 1.000 de Xangai e Paris. Na última competição da temporada, chegou até a semifinal das Finais da ATP, em Londres.

Agora, para 2016, o principal foco é Olimpíada do Rio de Janeiro. Apesar de seguir como parceiro do croata Ivan Dodig, ele vai disputar a competição ao lado do compatriota Bruno Soares. E a expectativa é por um bom resultado.

- Ano que vem, a prioridade no inicio do ano são os Grand Slams. Mas o foco principal mesmo é a Olimpíada. Também por estar jogando no Brasil. É uma oportunidade única jogar no Brasil. A cada três quatro dias, (Novak) Djokovic, (Stan) Wawrinka vinham perguntar sobre o país. Até para eles é a prioridade máxima. Para nós, mais ainda - avaliou.

Apesar da temporada desgastante, o tenista brasileiro ainda tem um compromisso antes do fim do ano. Ele vai disputar algumas partidas pela International Premier Tennis League (IPTL), na Ásia. A competição é disputa em equipes e conta com alguns dos principais competidores da atualidade. Entre seus companheiros, Melo terá ao seu lado o sérvio Novak Djokovic.