Kei Nishikori

Kei Nishikori em Indian Wells. Crédito: Reprodução Tennis TV

Tênis News
26/03/2016
14:50
Miami (Estados Unidos)

Em sua estreia no Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, o japonês Kei Nishikori, sexto do ranking da ATP, levou um susto diante do francês Pierre Hugues Herbert, 107º, mas venceu, avançou e aguarda definição de rival.

Nishikori precisou de 1h28 para fechar o placar em 6/2 7/6 (4) tendo disparado 13 bolas vencedoras contra 22 do francês, que cometeu 28 erros não-forçados contra 17 do japonês, que viu o rival disparar nove aces em toda a partida.

Em um primeiro set de muitos erros de Herbert, Nishikori conquistou a quebra de saque no quarto game, abriu 4/1 e administrou a vantagem conquistando nova quebra de saque no oitavo game e fechando a parcial.

No segundo set Pierre Herbert reagiu, conquistou quebra de saque importante no quinto game, abriu 4/2 no placar e quando sacava para o set com 5/4 no placar, vacilou, viu o japonês devolver a quebra e forçar o tiebreak.

Ali, Nishikori abriu 3/1 com uma mini-quebra em afobação do francês e administrou a vantagem e fechou a partida.

Na terceira rodada, o japonês encara o ucraniano Alexandr Dolgopolov, 29º, que venceu o italiano Andreas Seppi, 43º, em um duplo 6/4, tendo virado o placar do segundo set, após o italiano abrir 4/2 de vantagem.

O ucraniano e o japonês já se enfrentaram três vezes no circuito profissional. Todos os encontros foram realizados em piso rápido descoberto e Nishikori levou a melhor em todas.



Raonic vence na estreia e também avança

Décimo segundo favorito na chave em Miami, o canadense Milos Raonic, 14º do ranking da ATP, foi pressionado o tempo todo pelo ucraniano naturalizado norte-americano Denis Kudla, 63º, e em 1h32 o superou por 7/6 (4) 6/4 tendo disparado 13 aces contra cinco de Kudla, que apresentou 88% de aproveitamento de pontos com seu primeiro serviço contra 79% de aproveitamento de Raonic.

O canadense, que salvou todos os seis breakpoints contra que teve na partida, encara o vencedor da partida entre o norte-americano Jack Sock e o ucraniano Sergiy Stakhovsky.