Rafael Nadal

Divulgação

Tênis News
13/01/2017
04:22
Melbourne (Austrália)

Já em Melbourne, na Austrália, onde se prepara para a disputa do primeiro Grand Slam da temporada, Rafael Nadal concedeu uma entrevista ao jornal espanhol El Español onde falou do seu atual momento da carreira, de sua satisfação com tudo o que conquistou e com sua ambições profissionais.

Na longa entrevista, Rafa iniciou revelando que não "se frustra com as lesões", apesar de ponderar que caso não tivesse tido tantas lesões talvez tivesse conquistado mais em sua carreira. "De qualquer maneira não estou em condições de me queixar de nada. Com ou sem lesões tive uma carreira fantástica até o dia de hoje", disse o espanhol de Manacor que foca em tentar melhorar os números de sua carreira.

A respeito da afirmação que tem buscado ser competitivo, Nadal foi questionado sobre o que define como "ser competitivo" e pontuou: "É você ir a um torneio sabendo que pode vencê-lo. Entrar em quadra a saber que pode vencer qualquer um. É estar preparado para aspirar tudo".

Nadal bateu diversas vezes na tecla de que tem uma carreira vencedora da qual jamais sonhou e que se orgulha muito. Ao ser questionado se está com a carreira feita, o eneacampeão de Roland Garros não titubeou: "Está ou não...Está como está. Dizer que está feita não significa que não quero melhorá-la, claro que quero. Sendo realista, o que fiz até hoje é muito mais do que sonhei aos 20, 22, 23 e 25 anos, mesmo que já tivesse vencido muito com essa idade".

Dono de 14 títulos do Grand Slam, Nadal está desde Roland Garro 2014 sem vencer um título deste porte e perguntado se faz muito tempo, pontuou que "depende" e questionou o repórter sobre desde quando Roger Federer, seu maior rival, está sem vencer um Slam e ao ouvir Wimbledon 2012, o espanhol respondeu: "E ele continua (jogando). A vida não é apenas ganhar e ser o melhor.Há outras coisas. mesmo no esporte, onde de cara a imprensa e as pessoas acham que só serve ganhar, há outras coisas. Na vida há coisas mais importantes que vencer. A felicidade de alguém está em fazer o que sente bem".

Perguntado se já não é uma "máquina de vencer", Rafa Nadal pontuou: "É normal. É a lógica natural da carreira de todos, sem exceção. De Sampras Federer, Djokovic, Murray, eu...".

"Ninguém se aposentou com a sensação de ser imabtível. Este é o curso natural da vida, da carreira de qualquer jogador. É preciso aceitar e entender a situação. Isso não tira de que essa sensação de invencibilidade te impeça de competir por coisas grandes. Estes são os meus objetivos", frisou.