Rafael Nadal

Rafael Nadal (Foto: JOHANNES EISELE/AFP PHOTO)

TÊNIS NEWS
05/05/2016
23:31
Madri (Espanha)

Número cinco do mundo, o espanhol Rafael Nadal destacou sua difícil missão na vitória por 6/4 6/2 diante do americano Sam Querrey nas oitavas de final do Masters 1000 de Madri, na Espanha, no fim da tarde desta quinta-feira.

O espanhol saiu de 4/1 abaixo na primeira etapa e destacou no que precisou mudar para garantir a vaga: "Todos os rivais são difíceis . Os jogadores tem o potencial de bater tão forte a bola pois sabe que há momentos em que depende deles e o fato de jogar de noite e não ter treinado nunca à noite fazia com que as condições fossem distintas e mais lentas. Já no bate-bola do começo me senti um pouco esquisito , mas levo jogando bem toda a semana com a qual acredito que entraria no partido e tentaria evitar o começo que finalmente passou. Tivemos que remar muito e por sorte depois pus a cara no jogo e quebrei seguidamente", apontou o tetracampeão do torneio em 2005, 2010, 2013 e 2014: "Quando você está 4/1 0/30, 4/2 40/15 abaixo e saque que se perder esse game o outro vai sacar com bolas novas pra fechar o set pois está no limite. Nesse momento me coloquei muito atrás para mudar o campo visual no seu saque que não via muito fácil. E funcionou porque até então sacava muito na linha e com muita velocidade e batia muito forte no forehand, tinha muito êxito. Tinha que neutralizar isso e tinha a confiança de que se conseguisse devolver as bolas e criar trocas poderia controlar a partida".

Nadal já soma 12 vitórias seguidas e repetiu o discurso que haviafeito em 2015 quando tirou do técnico Toni Nadal a culpa pelo mau momento até então: "Já falei sobre isso várias vezes, não me satisfaz repetir o tema. Deixei claro quando as coisas íam male não quero reafirmar quando vão melhor. Sempre disse que as coisas não foram bem era culpa minha e não dos demais e assim assumi e assim assumo que agora vão melhor. Não se deve buscar desculpas fora de mim mesmo e menos com esta equipe a qual realizei a carreira fantástica. Igual que também se me critiquei não vou sair pra defender meu tio e entendo que são opções que se são com respeito cada um é livre pra opinar. Não é injusto, são opiniões sempre que sejam respeitosas".