Murray x Del Potro

Andy Murray (Foto: AFP/MARTIN BERNETTI)

TÊNIS NEWS
27/10/2016
18:10
VIENA (AUT)

O escocês Andy Murray teve dificuldades, mas passou por mais um desafio no ATP 500 de Viena. Nesta quinta-feira, o segundo do ranking mundial e principal favorito na Áustria virou sobre o francês Gilles Simon, 24º, por 4/6, 6/2 e 6/2, em 2h41, e está nas quartas de final.

Na briga por uma vaga nas semifinais, o vice-líder da ATP medirá forças com o americano John Isner, 27º, que superou, ontem o espanhol Feliciano Lopez, 30º, por 7/6(1), 3/6 e 7/6(2), em 2h13.

A vitória de hoje, a 13ª seguida do dono de três Slams – uma contra Guido Pella pela Copa Davis, além de cinco em Pequim e cinco em Xangai, títulos ganhos por ele na China – mantém vivo o objetivo de Murray conquistar 1500 pontos em duas semanas (Viena e Masters 1000 de Paris); que podem colocá-lo na liderança do ranking mundial de 2016, algo que acontecerá se ele conquistar os dois torneios e Novak Djokovic, atual ocupante do posto e que não disputa competição alguma nesta semana, não chegar à final na cidade luz.

O JOGO
O primeiro set foi instável e confuso em meio às trocas de bolas longas e extenuantes que marcam os duelos entre os tenistas, uma prévia do que seria o jogo que teve 113 erros não-forçados (58 do britânico contra 55 do francês), mas apenas 32 winners (18 a 14). Duas quebras de saque nos dois primeiros games deram a tona da parcial. Na sequência, em 1/2, Murray abriu 40/15, mas cometeu duas duplas faltas e errou muito, entregando a segunda quebra. Daí pra frente, o escocês abusou da displicência e dos erros, jogando acentuadamente mal nos momentos importantes. Simon, que executava sua estratégia de troca de bolas e mantinha-se nos pontos, aproveitava. O azarão ainda perdeu seu serviço em 5/3, num bom final de game do oponente, mas Andy voltou a voar no 4/5 e entregou o set em slice errado e sem nexo, completando sua etapa de 24 erros não-forçados.

O início da segunda parcial foi vital para as aspirações do favorito na partida. Após um péssimo primeiro game, ele batalhou por quase 15 minutos no segundo, salvou seis break points e manteve-se vivo. Depois disso, duas quebras a favor do escocês, uma para o francês; com 3/2 e saque, o bicampeão olímpico pôs a cabeça no lugar, elevou seu nível de jogo e não deu mais chances: 6/2, e o tenista de Dunblane, franco favorito ao título na capital austríaca, iria jogar um terceiro set pelo segundo dia seguido.

Neste ponto, Gilles solicitou atendimento médico para tratar o que aparentava ser uma bolha no pé direito. Na volta, um game confirmado para cada lado e uma quebra a favor de cada atleta. No quinto game, Simon batalhou para segurar seu serviço, mas Andy foi melhor e conseguiu a segunda quebra no set, aquela que o levaria às quartas de final. Após confirma-la e abrir 4/2, Murray viu o francês baixar levemente a guarda e não sustentar mais as longas trocas de bolas como antes. Desta vez, no momento mais importante, quem errou muito foi Simon, e o segundo melhor do mundo novamente resistia à uma má atuação na Áustria.