O tenista Andy Murray faturou o ouro nos Jogos de Londres-2012

Andy Murray (Foto: AFP PHOTO / VALERY HACHE)

TÊNIS NEWS
29/05/2016
14:52
PARIS (FRA)

Depois de sofrer nas duas primeiras rodadas, Andy Murray conseguiu o que queria. O 2º melhor no ranking da ATP bateu o americano John Isner, 17º, por 7/6(11), 6/4 e 6/3, em 2h40min de partida, e acumula sua segunda vitória seguida em três sets em Roland Garros, o Grand Slam do saibro.

Na próxima fase, o segundo pré-classificado enfrenta o vencedor da partida entre Kei Nishikori, 6º da lista masculina, e Richard Gasquet, 12º, que travam um duro embate na quadra Philippe Chatrier.

O JOGO
A primeira etapa foi a única em que Isner realmente incomodou. Ele perdeu duas chances de quebra no 1/2 e andou perto dos break points com alguma frequência, mas não foi capaz de tomar o saque do britânico. Murray, por sua vez, tinha dificuldades no saque do 17º colocado e segurava-se como podia no seu. Dessa forma, ele conseguiu permanecer no set.

O tiebreak foi decidido no detalhe. Após o segundo favorito ao título ter 3/0 e 5/2, ele cedeu três pontos seguidos e contou com um grande vacilo do oponente para salvar o set point no 6/5, com o gigante sacando. Sem miniquebras até o 9/10, o set só chegou ao fim no erro de direita do estadunidense.

Nos últimos dois sets, a tona foi a mesma: Murray dominando seus games de saque e confirmando-os com tranquilidade, ao passo que Isner, mesmo tendo um saque altamente letal, precisava lutar bastante para manter seu serviço. No 4/5, após erros bobos do americano – algo que ocorreu bastantes vezes na partida -, Murray finalmente conseguiu sua primeira quebra do jogo e, de quebra, fez 2x0.

No início da terceira parcial, Andy voltou a quebrar John. Depois de resistir a dois break points com o saque, ele teve que trocar bolas no terceiro e forçou equivocadamente uma curtinha. 3/1, um grande passo para a vitória.

Então, o vice-líder do ranking precisava de três serviços confirmados. E foi o que ele fez – não sem antes passar por alguns sustos, entretanto.

Como finalizar uma partida nunca é tão fácil quanto disputar os pontos normais, ele teve que salvar dois break points no 4/2 e, encurtando demais o braço no game derradeiro, utilizou-se do saque ao ver-se frente a um 30/40, no 5/3. Com três ótimos serviços, dois aces, ele fechou em 2h40min o jogão na quadra Suzanne-Lenglen.