Andy Murray

Andy Murray (Foto: AFP)

TÊNIS NEWS
20/11/2016
20:22
Londres, Inglaterra

Após um torneio impecável no ATP World Tour Finals, o britânico Andy Murray confirmou sua liderança do ranking até o fim da temporada ao vencer o sérvio Novak Djokovic por 6/3 6/4 na final. Após a partida, Murray falou um pouco sobre seu ano.

“É a melhor forma possível de terminar o ano,” celebra o número 1 do mundo. “Todas as vitórias neste ano foram diferentes. O ouro olímpico foi o mais especial, definitivamente. Foram partidas incríveis e eu ainda fui o porta-bandeiras.”

Murray foi o maior vencedor da temporada, com 9 títulos no total. Desde a derrota na final de Roland Garros o britânico sofreu apenas três revezes e venceu Wimbledon, ouro Olímpico, Pequim, Xangai, Paris e o ATP Finals.

“Não festejarei hoje, teremos apenas um jantar amanhã e verei o que acontece depois. Vocês querem se juntar a nós?” Brincou o britânico com os jornalistas presentes.

Número 1 garantido até o fim da temporada, Murray também falou sobre a falta que Federer e Nadal fazem para o circuito e expressou o que sente sobre uma ‘Era Murray’.

“O tênis está bem servido com os mais jovens, mas seria um lugar muito melhor com Roger e Rafa de volta,” comentou. “Foi um final de temporada difícil para o esporte, com ambos tendo de se afastar do circuito. Eles são muito carismáticos e tem uma grande fan base.”

“Nunca pensei em uma ‘Era Murray”, apenas quero manter meu nível e fazer dos próximos anos os melhores de minha carreira. É claro que eu quero me manter no topo, mas tive um grande ano e mesmo assim só conquistei a posição por um jogo de diferença. Será difícil de qualquer forma,” analisou o britânico.


Por fim, Murray falou da partida em si e confessou que sentiu o cansaço do torneio pesar no Segundo set.

“Hoje eu tive um pouco mais de confiança do que nas outras vezes em que nos enfrentamos,” comentou. “Nesta manhã eu me senti cansado, tive dificuldades no aquecimento. Como o jogo foi tranquilo nos primeiros games, eu só senti o peso nas pernas no segundo set.”

“Não acho que esta foi uma das melhores partidas de Novak. Já fizemos grandes jogos juntos, mas joje ele cometeu muitos erros não forçados,” analisou. “Quando fui quebrado no 4/1, senti que ele começou a crescer na partida, mas mesmo assim ele não conseguiu se achar no jogo. Jogamos juntos há muito tempo, desde os tempos de juvenil e, ao contrário do que muitos pensam, temos um bom relacionamento.”