HOME - Marcelo Melo e Bruno Soares no Aberto do Rio (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

HOME - Marcelo Melo e Bruno Soares no Aberto do Rio (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

Tênis News
16/07/2016
17:01
Belo Horizonte (MG)

Uma das mais fortes parcerias do mundo, dos brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares levou um susto no confronto contra os jovens equatorianos Roberto Quiroz e Emílio Gomez, mas confirmaram o favoritismo e fizeram Brasil 2x1 na final do Zonal I da Copa Davis.

Melo/Soares precisou de 2h19 para fechar o placar 6/7 (4) 6/3 6/3 6/2 tendo convertido cinco aces contra dois dos equatorianos, que venceram 63% dos pontos jogados com seu primeiro serviço contra 84% de aproveitamento dos brasileiros.

Neste domingo, às 12h, o número um do Brasil, Thomaz Bellucci encara o número um do Equador, Emílio Gomez, para definição do quarto ponto do confronto, que pode colocar o Brasil nos playoffs do Grupo Mundial no próximo mês de setembro.

O jogo

A partida começou com as duplas firmes em seus saques e confirmando em pontos arrastados e muitas disputas. Sem ameaçar efetivamente os saques dos adversários, Melo foi obrigado a forçar saque e converter ace para salvar quatro breakpoints no primeiro set e viram a partida, alongada ir para o tiebreak. Ali, os mineiros saíram com mini-quebra de vantagem, mas trabalharam com segundo serviço e foram dominados.

Na segunda etapa, após a chacoalhada recebida ao fim da primeira etapa, os brasileiros arriscaram na devolução, conquistaram a quebra de saque no terceiro game, abriram 3/1 no placar, administraram e com linda passada no nono game fecharam o set.

Com tudo igual no placar e os adversários mais ansiosos e errando mais, os brasileiros conquistaram a quebra de saque fechando a rede no quarto game da terceira parcial, abriram 3/0 no placar e administraram.

No quarto set, convencidos de fechar a partida logo, os brasileiros sacaram firmes, deram poucas chances aos adversários e pressionaram nos games de serviço. As quebras vieram no primeiro e quinto games da disputa e garantiram o segundo ponto para o Brasil no confronto.