Tênis - Marcelo Melo e Bruno Soares

Marcelo Melo (esq.) e Bruno Soares (dir.) (Foto: Cristiano Andujar/CBT)

TÊNIS NEWS
24/07/2016
12:45
TORONTO (CAN)

Estrelada e forte. Esses são dois adjetivos que podem definir a chave de duplas do Masters 1000 de Toronto, que começa nesta segunda-feira. Muitos jogadores de simples estão na disputa entre parcerias, visando treinar para as Olimpíadas, que começam em menos de duas semanas.

Apesar de significativas ausências terem sido confirmadas nesta semana – Murray, Federer, Nadal e Tsonga preferiram não jogar para aperfeiçoar a forma, visando a Rio-2016 – a chave tem os irmãos Bryan como principais favoritos, sendo seguidos por Bruno Soares/Jamie Murray e Marcelo Melo/Ivan Dodig como segunda e terceira uniões mais cotadas ao caneco.

Ambos os brasileiros saíram de bye na primeira rodada e esperam adversários de confrontos da primeira fase: Soares/Murray terão Bernard Tomic/Viktor Troicki ou Denis Shapovalov/Felix Auger Aliassime como primeiro desafio, mas podem enfrentar Novak Djokovic/Nenad Zimonjic, dupla sérvia que brigará pelo ouro nos Jogos Olímpicos, nas quartas de final, assim como os sétimos favoritos, Raven Klaasen e Rajeev Ram.

Marcelo e Ivan, por outro lado, tiveram um sorteio menos favorável. Logo nas oitavas, eles encaram a dupla que prevalecer entre Julien Benneteau/Edouard Roger-Vasselin, campeões de Roland Garros em 2014 e finalistas de Wimbledon na mesma temporada, e Marin Cilic/Marin Draganja, única dupla a representar a Croácia na Olimpíada deste ano. Se prevalecer no primeiro confronto, a dupla braso-croata poderá ter pela frente tanto os favoritos Henri Kontinen/John Peers quanto os vencedores do duelo entre Stan Wawrinka/Grigor Dimitrov e Lucas Pouille/Dominic Thiem. Os quatro tenistas são jogadores de simples e estão entre os quarenta melhores do mundo. Wawrinka, como se sabe, tentará o ouro na Barra da Tijuca ao lado de Roger Federer.

Outros famosos atletas da modalidade individual a se aventurarem são Nick Kyrgios e Jack Sock, que se unem na cidade canadense. John Isner e Alexander Zverev não disputarão duplas masculinas no Rio – Isner sequer virá à capital carioca -, mas também tentam surpreender na maior cidade do país norte-americano.

Por fim, Radek Stepanek e Tomas Berdych também disputam a chave principal. O curioso é que eles formariam a dupla tcheca no Rio, mas Berdych desistiu de vir à América do Sul na semana passada, alegando medo do vírus da Zika, numa atitude que lhe rendeu uma enxurrada de críticas nas redes sociais, sobretudo dos brasileiros. Bruno Soares se posicionou publicamente, em meio à Copa Davis, classificando o uso da Zika como desculpa de “inconsistente”. Literalemten abandonado por Berdych à própria sorte, Stepanek contou com a boa vontade da ITF para não ficar fora dos Jogos Olímpicos – no fim, a Federação lhe deu um convite para tentar uma medalha junto a Lukas Rosol.