Federer x Djokovic

Roger Federer (Foto: LEON NEAL/AFP)

TÊNIS NEWS
11/06/2016
11:14
STUTTGART (ALE)

O austríaco Dominic Thiem, 7º da ATP, bateu Roger Federer, 3º, por 3/6, 7/6(7) e 6/4, em 1h57, pelo ATP 250 de Stuttgart, Alemanha, e está na final do evento germânico. Em uma das maiores vitórias de sua carreira, ele se classifica para enfrentar Juan Martín del Potro ou o local Philipp Kohlschreiber.

A volta de Federer às quadras, após mais de um mês, foi positiva, no sentido de que o tenista dezessete vezes campeão de Majors enfrentou duas partidas duras, contra Taylor Fritz e Florian Mayer, e pôde pegar ritmo de jogo. Apesar de não ser cobrado por vitórias em sua volta, o resultado preocupa seus fãs, que esperam ver nele alguém capaz de bater Novak Djokvic em Wimbledon e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

No embate de hoje, Roger começou envolvendo o oponente e dando pinto de que iria obter um triunfo relativamente tranquilo. Não faltaram chances para tal, mas, no fim, o tenista de 34 anos acabou desperdiçando oportunidades e vendo um rival cheio de fome atingir a virada.

O jogo se desenrolou como uma tradicional partida na grama: poucas trocas de bolas ocorriam e os tenistas definiam o ponto a partir de seus saques.

Nesse contexto, Federer se aproveitou de sua amplamente superior experiência na grama para dominar o primeiro set. Com o oponente sacando em 1/2 e dando de presente uma dupla falta erros, o suíço conseguiu a quebra de saque. De forma tranquila, manteve seu serviço e fez, em 28 minutos, 6/3.

A segunda parcial foi totalmente diferente. Dominic começou a comandar quando quebrou o saque de Roger, num lob perfeito, fazendo 2/0. No quarto game, o número três do mundo sofreu outra quebra. Rapidamente, o mais novo top 10 da ATP tinha 5/0.

Mas aí começou a reação do suíço. Ele contou com erros bobos do adversário, que se repetiriam ao longo do set, para recuperar a primeira quebra: 5/2. Depois, sacando em 5/3, o tenista de 22 anos, deu o game para Federer, começando com duas duplas faltas seguidas e, após um paradoxal ace, cometeu dois erros, um em voleio e outro jogando longe uma esquerda. A enorme vantagem sumira com a mesma velocidade que fora criada.

Em 5/5, Thiem conseguiu segurar seu serviço e ficar novamente à frente, algo crucial para sua sobrevivência. No tiebreak, então, os dois trocaram minibreaks em duplas faltas. Federer fez 6/5 e chegou ao match point, mas errou um voleio de direita na hora de matar o jogo. Em nova chance de liquidar a partida, desta vez com o saque, o suíço foi à rede no segundo serviço, mas levou uma passada cruzada de backhand do adversário.

Como diz a sabedoria popular: “quem não faz, leva”. Depois de ceder a segunda miniquebra e o set point, com uma curtinha ruim, que não chegou à rede, o principal favorito do evento perdera a parcial com 9/7 no tiebreak.

Entre os dois últimos sets houve a primeira das duas interrupções causadas pela chuva, que durou meia hora.

Na volta, o 3º colocado do ranking salvou um break point no primeiro game. O 7º, por sua vez, salvou 15/40 em seus dois primeiros serviços do set e suou muito para empatar em 2/2.

Daí em diante, a nova estrela do tênis mundial aumentou seu nível de jogo e terminou de construir a vitória. Como um mantra, o “quem não faz, leva” foi novamente aplicado no confronto. No sétimo game, quando o placar marcava 3/3, ele foi agressivo, subiu à rede, pôs pressão sobre o concorrente e chegou à quebra forçando o erro de Roger no voleio.

Logo após o break conquistado, uma nova paralisação por causa da chuva deixou os atletas fora da quadra por mais 25 minutos.

Thiem, contudo, voltou com a mesma atenção e desempenho de antes. Servindo mais duas vezes, o austríaco disparou bons saques e pressionou Federer, que no 5/3 já estava sem paciência. Em 1h57, o ex-número 1 caiu para o terceiro favorito.

Na próxima semana, o suíço disputará o ATP 500 de Halle, também na Alemanha, seu último preparatório para Wimbledon, o Grand Slam da grama, que começa no dia 27.