Roger Federer

Roger Federer no Australian Open. Crédito: Tennis Australia

TÊNIS NEWS
26/01/2016
06:06
Melbourne (Austrália)

Após mais uma convincente vitória no Australian Open, marcando 7/6 (7/4) 6/2 6/4 sobre o tcheco Tomas Berdych, sexto colocado, nesta terça-feira, e a vaga na semifinal, Roger Federer celebrou a atuação que o colocou na 12ª semi no torneio.


"Joguei bem no geral, gostaria de não ter sido quebrado aqui ou ali, mas o Tomas me empurrou pra isso, então poderia acontecer", apontou Roger que começou o primeiro e terceiro sets com quebras abaixo, mas recuperou no game seguinte.

"Ele tem muita potência, sabe como fazer isso, então fiquei feliz nas duas ocasiões, no primeiro e terceiro sets , de reagir rapidamente. O primeiro set foi longo, o mais importante de todos em minha opinião, definitivamente a chave pois pode ter tirado um pouco da energia do Tomas, se não foi físico, mas mental, é sempre duro perder o primeiro set em uma melhor de cinco no tie-break".

Federer apontou que o jogo de rede não foi bom somente nesta terça, mas é algo que vem usando mais nos últimos anos. Diante de Kei Nishikori ou Novak Djokovic, rivais da semi que ainda serão definidos, ele apontou: "São dois dos melhores devolvedores e bons também na defesa pois têm um braço esquerdo forte para o backhand assim como Murray. Asestatísticas de hoje podemos assumir que não necessariamente podem ser mantidas a menos que você venha à rede na hora certa".

Ao ser perguntado o significado de vencer um Grand Slam na era de domínio de Novak Djokovic, o suíço não titubeou. Ele não ganha um Major desde Wimbledon em 2012: "Significaria muito, acredito. É parte da razão pela qual ainda venho jogando. Me sinto competitivo no topo. Posso bater todos os tops no circuito. É legal agora que nos últimos três Slams fui consistente como já fui. Tenho jogado um bom tênis, um tênis divertido pra mim. Gosto de vir pra rede mais vezes. Estou muito satisfeito".