icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
21/08/2015
16:00

O ucraniano Alexandr Dolgopolov, 66º do ranking da ATP, segue embalado no Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, onde furou o qualificatório, entrou de bye na vaga deixada por Kei Nishikori, lesionado, e bateu o tcheco Tomas Berdych indo à semifinal.

Usando de seu jogo 'kamikaze' cheio de alternativas de jogadas e belos pontos, Dolgopolov precisou de 1h14 para superar Berdych, sexto do ranking da ATP, pelo placar de 6/4 6/2 tendo convertido cinco aces contra quatro do tcheco, que bateu nove bolas vencedoras contra 19 do ucraniano que cometeu 23 erros não-forçados um a menos que o tcheco.

Sem muito a perder, Dolgopolov entrou em quadra como freguês de Berdych, já que perdeu todos os quatro encontro que havia disputado com o tcheco anteriormente, e buscando somar. Jogando solto, pressionou o serviço do rival desde o primeiro ponto e não deixou Berdych jogar com a bola alta e lenta como gosta, que conseguiu impor contra Thomaz Bellucci e Tommy Robredo, nas partidas prévias.

Variando jogadas e reclamando muito do som alto que vinha da quadra central e os atrapalhavam na Grandstand, Dolgopolov conquistou a quebra de saque no quinto game, abriu 4/2 e administrou o placar para fechar o segundo set.

Na etapa seguinte, o jogo seguiu da mesma maneira, o ucraniano conquistou a quebra de saque no quinto game e com apoio da torcida seguiu à vontade em quadra e dominou a partida quebrando o saque de Berdych pela segunda vez no set, já no sétimo game e administrou placar.


Jogando a segunda semifinal em Masters 1000 da carreira, Dolgopolov, que nunca havia vencido um jogo em Cincinnati na carreira até este ano, desafia Novak Djokovic por vaga na final. O ucraniano e o sérvio já se enfrentaram quatro vezes no circuito profissional e todas as partidas foram vencidas por Nole.

O ucraniano Alexandr Dolgopolov, 66º do ranking da ATP, segue embalado no Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, onde furou o qualificatório, entrou de bye na vaga deixada por Kei Nishikori, lesionado, e bateu o tcheco Tomas Berdych indo à semifinal.

Usando de seu jogo 'kamikaze' cheio de alternativas de jogadas e belos pontos, Dolgopolov precisou de 1h14 para superar Berdych, sexto do ranking da ATP, pelo placar de 6/4 6/2 tendo convertido cinco aces contra quatro do tcheco, que bateu nove bolas vencedoras contra 19 do ucraniano que cometeu 23 erros não-forçados um a menos que o tcheco.

Sem muito a perder, Dolgopolov entrou em quadra como freguês de Berdych, já que perdeu todos os quatro encontro que havia disputado com o tcheco anteriormente, e buscando somar. Jogando solto, pressionou o serviço do rival desde o primeiro ponto e não deixou Berdych jogar com a bola alta e lenta como gosta, que conseguiu impor contra Thomaz Bellucci e Tommy Robredo, nas partidas prévias.

Variando jogadas e reclamando muito do som alto que vinha da quadra central e os atrapalhavam na Grandstand, Dolgopolov conquistou a quebra de saque no quinto game, abriu 4/2 e administrou o placar para fechar o segundo set.

Na etapa seguinte, o jogo seguiu da mesma maneira, o ucraniano conquistou a quebra de saque no quinto game e com apoio da torcida seguiu à vontade em quadra e dominou a partida quebrando o saque de Berdych pela segunda vez no set, já no sétimo game e administrou placar.


Jogando a segunda semifinal em Masters 1000 da carreira, Dolgopolov, que nunca havia vencido um jogo em Cincinnati na carreira até este ano, desafia Novak Djokovic por vaga na final. O ucraniano e o sérvio já se enfrentaram quatro vezes no circuito profissional e todas as partidas foram vencidas por Nole.