Novak Djokovic em Paris

Novak Djokovic em Paris (Peter Staples/ATPWorld tour)

TÊNIS NEWS
07/11/2015
16:26
Paris (França)

Número 1 do mundo, o tenista sérvio Novak Djokovic ampliou sua série invicta para 21 jogos, mas teve trabalho diante do quarto do mundo, Stan Wawrinka, na tarde deste sábado, garantindo vaga na final do Masters 1000 de Paris, na França.

O sérvio superou o algoz de Rafael Nadal nas quartas de final, Stan Wawrinka, por 2 sets a 1 com parciais de 6/3 3/6 6/0 após 1h51min de duração.

Esta é sua 19ª vitória em 23 jogos contra o tenista que lhe tirou o sonho de vencer Roland Garros pela primeira vez este ano.Nole vai tentar também o tetracampeonato no Masters parisiense que ganhou em 2014, 2013 e 2009. Ele buscará sua 26ª conquista de torneios que só perdem para os Grand Slams, o que o deixaria a apenas um de Nadal que passou em branco este ano pela primeira vez desde 2004.

Esta será a final 84 do sérvio, a 38ª em Masters 1000. Somente nesta temporada agora são 14 decisões e ele corre atrás do 10º título.

Neste domingo, ao meio-dia, horário de Brasília, Djokovic enfrenta Andy Murray, terceiro do mundo, na final. Será o 30º duelo entre eles. Nole lidera por 20 a 9 tendo vencido a última com facilidade em Xangai, na China, em dois sets, mas perdido a anterior na final em Montreal, no Canadá.

O jogo
Na primeira etapa o sérvio conseguiu a quebra cedo indo melhor diante de um rival que chegava um pouco atrasado nas bolas, fruto do cansaço do jogo tardio contra Rafael Nadal que terminou à 1h15 da madrugada no horário parisiense. Djokovic foi comandando com alguns games duros até fechar em 40 minutos por 6/3.

Na segunda etapa Nole abriu 2/0 e tudo parecia que caminharia rápido quando Stan endureceu um game, conseguiu uma quebra na quinta chance com bobeada de Djokovic errando smash e fazendo saque e voleio equivocado no melhor golpe do rival. Wawrinka então fez cinco games seguidos, abriu 5/2 após salvar break-points e confirmou com firmeza e sutileza em voleio por 6/3 em 45 minutos. Nole no fim do set bateu a raquete no tênis após se irritar com chances perdidas e tomou vaias e advertência.

Na terceira etapa o sérvio pisou morte, saiu quebrando e Wawrinka baixou fisicamente, começou a sentir a perna e ir pro risco a todo momento. Baleado, o suíço não conseguiu reagir e foi presa fácil para um Djokovic que só cresceu na confiança e potência dos golpes até fechar por 6/0.