Nick Bolletieri

Nick Bolletieri no Rio Open. Crédito: Fotojump

TÊNIS NEWS
14/02/2016
11:40
Rio de Janeiro (RJ)

No Rio de Janeiro para acompanhar o Rio Open, Nick Bolletieri, um dos técnicos mais renomados do tênis, da IMG Academy, em Bradenton, na Flórida, apontou Novak Djokovic como o melhor e mais perfeito tenista da história. 

Com 60 anos como técnico, Bolletieri revelou feras como Andre Agassi, Maria Sharapova, Tommy Haas, entre outros e sua academia ainda recebe grandes nomes como Kei Nishikori.

Segundo ele não há ninguém melhor que Novak Djokovic, sérvio que nos últimos dois anos vem dominando o esporte e já soma 11 Grand Slams, seundo quatro nos últimos cinco disputados: "Djokovic está com Roland Garros na mente. Nos 60 anos que sou treinador, ele é o mais perfeito jogador que já vi, é difícil achar um defeito. Eu diria que Djokovic é o melhor da história no esporte em termos de construção, de jogo. Se ele pode ganhar mais três, quatro, cinco Grand Slams, temos o Federer, o Sampras, ele estará lá", apontou Nick destacando o impacto que Boris Becker teve em seu jogo.

"O que o Boris Becker trouxe a ele ? Vai pra quadra e não desperdice um ponto, entra e sai, não dê ao adversário nenhuma ideia de como possa te bater. A maior punição ao ser o melhor do mundo é que você precisa ser o melhor a cada jogo, cada dia. Técnicos tem um grande impacto, tem que conhecer bem o atleta, técnico é mãe, é esposa, é babá, tudo junto, é mais de que um técnico, saber tudo profundamente, hoje grande ênfase pra parte física, antigamente o jogador treinava,, jogava e podia tomar uma cerveja, hoje é técnica, mental e físico, se você fica cansado, você faz um percentual baixo de bolas, se você está fisicamente forte você tem um limite e joga o tempo todo ali."

Ao ser perguntado da fase de Rafael Nadal e se ele poderia contratar um novo treinador, ele pensou e colocou Agassi na mesa, mas sem tirar Toni Nadal: "A grande questão é se Nadal pode voltar esse ano. Não acho que ele tenha que aderir um novo técnico e sim uma nova opinião junto com o Toni, Edberg fez grande diferença ao Federer, disse pra ele ficar em cima da linha de base, raquete maior e vai pra rede, por isso que ele vem jogando tão bem."
"Agassi poderia ajudar Nadal, iria se adequar. Ele tem grande respeito, acho que o Toni ouviria a opinião dele. Agassi diria de uma maneira aceitável. Pra tirar a posição de Toni ou rebaixá-lo seria lamentável, mas a ajuda de Agassi seria bem-vinda. Primeiro Agassi deveria ouvir Nadal. Hoje em dia os jogadores querem enfrentá-lo, antes eles olhavam o Nadal na chave e não queria. Quando você perde o fator medo é quando o jogador quer enfrentá-lo e isso é o que está acontecendo. Ninguém sabe o que vai na mente dele, talvez o jogo de pernas não estava próprio, mas ele estava melhorando agora, melhorando, mas o saibro não vai colocá-lo no topo de novo, tem que ganhar no piso duro e grama."

Como um ex-pupilo seu, Bolletieri destaca o que mais lhe chamava a atenção em Agassi: "Andre me disse sabe o que me tornou um campeão ? Entrar na quadra e a cada ponto ficar na minha mente que sempre eu jogaria a última bola por cima da rede. Hoje no jogo você não pode ter um defeito, é tudo assim."

Sobre as chances de Roger Federer ganhar um Grand Slam ele jogou mais para Djokovic: "Se eu fosse o Djokovic e jogasse contra o Federer eu deixaria ele ganhar um (risos). Federer é tão importante pro esporte, ele respeita o oponente, é gracioso, respeita a família, ajuda crianças com sua fundação, Federer é o Federer, tem algo que não se pode ensinar."