Tênis News
04/11/2016
20:43
Paris (França)

Após ser eliminado nas quartas de final do Masters 1000 de Paris-Bercy pelo croata Marin Cilic, o sérvio Novak Djkovic viu uma invencibilidade de 17 jogos no torneio acabar e ainda poderá perder o posto de número um do mundo ao fim da semana para Andy Murray.

Sobre a derrota em sets diretos para Cilic, Djokovic declarou: "Marin foi o melhor jogador hoje, ele mereceu vencer. Eu não estava no meu melhor, poderia ter o levado ao terceiro set, e então eu fiz duas duplas faltas. Não fui capaz de responder à altura nos momentos importantes".

Questionado sobre ter deixado o caminho livra para que o escocês Andy Murray assuma a liderança do ranking com mais duas vitórias, o sérvio voltou a elogiar o rival de longa data: "Ele merece estar nesta posição. Tenho um grande respeito por tudo que ele fez. Nós nos conhecemos muito jovens, a primeira vez que jogamos contra tínhamos 11 anos. O modo como ele aumentou seu nível ao longo dos últimos três meses é bastante extraordinário".

Djokovic foi questionado pelos jornalistas sobre o "quão importante é terminar o ano como número um", mas o sérvio considerou que viveu "emoções muito fortes nos últimos dois anos", destacou ter fechado o Career Slam ao vencer Roland Garros em junho deste ano e pontuou não estar em um grande nível nos últimos dois meses. "Há um desgaste, tenho que colocar perspectivas e pontuar questões sobre a direção em que queri ir. Ainda estou neste processo, vai demorar algum tempo para redefinir todas as coisas", considerou.