Novak Djokovic

Novak Djokovic (Crédito: André Valle)

TÊNIS NEWS
13/04/2016
12:30
MONTE CARLO (MON)

O tcheco Jiri Vesely, 55º da ATP, surpreendeu a todos, fez 6/4, 2/6 e 6/4 em Novak Djokovic, o número 1 do Mundo e eliminou o maior jogador da atualidade após mais de duas horas de batalha, em uma grande atuação daquele que havia vencido apenas um jogo na temporada, até então.

Novak Djokovic perdeu o primeiro jogo em Masters 1000, série de torneios da qual é o maior campeão, em oito meses – a última derrotada fora em Cincinatti, em agosto passado - e apenas a segunda partida no ano, sendo que a primeira, contra Feliciano Lopez, em Dubai, foi por desistência - ele teve um problema no olho. Se o assunto for estreias em Masters 1000, o sérvio não era superado há quase três anos, quando foi batido pelo búlgaro Grigor Dimitrov, em Madri.

Vesely foi muito agressivo durante todo o jogo, mostrou muita personalidade e, dentro dos padrões de um ser humano comum, que tem medos e frustrações, lidou muito bem com a pressão, conseguindo a maior vitória de sua ainda curta carreira – o jovem, que foi campeão de Grand Slam e número 1 do ranking juvenil, tem apenas 22 anos - e a primeira sobre um top 10 em 9 jogos.

O JOGO
O primeiro set começou com os dois tenistas confirmando seus saques de forma sólida, ainda que o tcheco, surpreendentemente, tivesse mais facilidade para fazê-lo: de seus quatro primeiros games de serviço, ele fechou três de 0, sem perder nenhum ponto. Nole, por sua vez, enfrentou o primeiro break point da partida sacando em 3/3, mas saiu da encrenca com o saque. No serviço seguinte, por outro lado, não conseguiu evitar o pior: começou com uma dupla falta, passou por um erro não forçado e viu o tcheco, em ótima forma, jogar muito bem, conseguir 0/40 e concretizar a quebra. Sacando bem demais, ele não teve maiores dificuldades para fechar no 5/4, quando cedeu apenas um ponto, uma dupla falta no 30/0.

Os doze erros não forçados do sérvio contra apenas sete do tcheco evidenciavam que algo precisava ser mudado, pois a estatística é quase sempre vencida pelo número 1.

Ambos tiveram mais dificuldade para confirmar seus games no segundo set, pois quase todos iam para igualdades. Esse cenário perdurou até o sexto game, quando o maior campeão de Masters 1000 da história conseguiu um 0/40, atacou Vesely e conseguiu a quebra que tanto necessitava. Daí até o fim do set, então, o 55º do ranking baixou a guarda, frustrado, e cedeu novamente um break no 2/5. Djokovic levava o jogo ao set decisivo.

Apesar de todos pensarem que Nole iria deslanchar e vencer rapidamente, isso não ocorreu. Ele não estava nos seus melhores dias, perdendo a grande maioria dos confrontos na rede e errando muitas bolas bobas.

Ele começou a etapa normalmente, fazendo 40/15 em seu saque, mas perdeu a vantagem, errou um smash bobo, provavelmente seu único ponto fraco, e depois cometeu um erro não forçado, entregando o serviço. Apesar de Jiri também lhe dar um presente, perdendo a vantagem no game seguinte em erro bobo, Novak cometeu uma dupla falta e um erro não forçado, no 40/40 do terceiro game, proporcionando a segunda quebra de Vesely no set.

Então, o tcheco continuou jogando com muita personalidade, confirmando seus saques game após game, mesmo com toda a pressão que carregava, intrínseca a quem está prestes a derrotar o quase imbatível número 1.

A situação o levou ao décimo game, sacando em 5/4. Após errar e ver-se 0/15 abaixo, o azarão tirou da cartola uma lindíssima curtinha. Depois, deslanchou. Conseguiu um ótimo saque, contou com a sorte de uma imperfeição na quadra ter atrapalhado Djokovic e, no 40/15, viu o melhor do Mundo trabalhar muito bem o ponto, mas errar a direita que mataria o ponto. 2h06min depois de entrar em quadra, Djokovic sofria uma rara queda.