Novak Djokovic

Novak Djokovic. Crédito: Tennis Australia

TÊNIS NEWS
31/01/2016
09:57
Melbourne (Austrália)

Novak Djokovic venceu mais um Australian Open. Batendo o britânico Andy Murray, por 3x0, o sérvio levantou seu sexto troféu em Melbourne e igualou-se ao lendário local Roy Emerson como o maior vencedor do Grand Slam australiano.

Com a vitória, que veio por 6/1, 7/5 e 7/6 (7/3), em 2h50min, e repetiu os títulos de 2008, 2011, 2012, 2013 e 2015, o número um do mundo também garantiu outra marca histórica: com mais este título, chegou ao 11º título de Major e empatou com os também lendários Bjorn Borg e Rod Laver como o 5º maior vencedor de Grand Slams.

Ele soma seu 61º título na carreira e 13º em 18 finais consecutivas disputadas.

O primeiro game do jogo pegou fogo. Murray jogou muito bem e teve um break point, que o sérvio salvou com uma linda esquerda cruzada. No seguinte, o britânico cometeu dois erros não forcados e, para perder o saque, uma dupla falta. Daí pra frente, o escocês foi uma tragédia: errou muito , devolveu bolas curtas, que possibilitaram a Djokovic ir para cima e perdeu o saque mais uma vez. Djokovic, sem muito trabalho, porém com a regularidade de sempre, fechou o fácil 6/1, em 25 minutos. De alento para Murray, o fato de ele ter jogado melhor nos dois últimos game.

Na segunda parcial, o escocês jogou bem melhor. Mesmo com uma direita vacilante, ele usou muito bem o backhand e o saque como armas para ficar no jogo. Foi quebrado quando sacava em 3/3, quando jogou muito mal, começando com uma dupla falta e, depois, cometendo três erros não forcados, mas jogou muito bem no game seguinte devolveu a quebra. Murray, no entanto, entregou o 11º game de bandeja para Nole, quando, sacando em 5/5, fez 40/0, mas errou muito e viu o sérvio não desperdiçar a oportunidade. Em s

seguida, sacou de forma instável, cometendo suas duas primeiras duplas faltas na partida, quando tinha 30/15, cedeu o break point, mas jogou bem, se recuperou e definiu o 7/5, em longa 1 hora e 20 minutos.

Na terceira etapa do jogo, Djokovic aproveitou a frustração de Murray e, logo no primeiro game, quebrou o saque do número dois do mundo, em uma passada de backhand absolutamente espetacular. Mas o britânico não estava morto; teve um break point quando Nole sacava em 2/1 e outro em 3/2. Na segunda oportunidade, não desperdiçou, devolveu a quebra e, logo em seguida, confirmou o saque para liderar o set por 4/3. Eles confirmaram seus saques até o 6/6 e a definição ficou para o tiebreak. Na decisão, Murray começou da pior maneira possível: com uma dupla falta. Depois, viu Djoko fazer 3/0 e cometeu mais uma dupla falta quando sacava em 1/3. Então, o número um do mundo só administrou, fechando em 7/3 e sacramentando o hexacampeonato.