Um dos maiores nomes do tênis da história, o sérvio Djokovic busca seu 1º ouro

(Foto: Matthew Stockman/Getty Images/AFP)

TÊNIS NEWS
08/05/2016
16:07
MADRI (ESP)

O sérvio Novak Djokovic venceu mais uma vez o britânico Andy Murray, por 6/2, 3/6 e 6/3, em pouco mais de duas horas, e conquistou, pela segunda vez, o Masters de Madri, na Espanha. É o 29º título de Masters 1000 do líder do ranking.

O número, atingido na vitória de número 23 contra o escocês é o recorde absoluto da categoria. Ele volta a ultrapassar Rafael Nadal na briga pela liderança no quesito – fizera o mesmo após vencer Miami, mas Rafa empatou, após vencer Monte Carlo.

O JOGO

A partida começou com Djokovic quebrando o rival. Murray cometeu dois erros, viu Nole chegar à rede e matar no smash e, na segunda chance, ir à rede novamente e matar no voleio. O sérvio dominava a partida e Murray não apresentava seu melhor tênis, cometendo muitos erros, enquanto parecia estar com a intensidade baixa.

Dessa maneira, seguiu-se o set. Djokovic quebrou Murray mais uma vez no 1/3, num game em que Murray cometeu três erros. Seus únicos dois games feitos consistiram em viradas protagonizadas pelo saque. Inevitalvelmente, Nole rapidamente fechou a parcial: 6/2, em 31 minutos.

Na segunda etapa, Andy voltou melhor. Mais ligado, potencializou a maior virtude que teve no primeiro set: o saque. Servindo muito, não deu chances ao líder do ranking em seu saque e tomou o serviço de Novak uma vez, no 1/2, com uma dupla falta do número 1. Assim, Murray fez 6/3, em 39 minutos.

A terceira parcial começou como a primeira. No segundo game, Djoko elevou seu nível de jogo, foi para cima e quebrou o serviço de Andy. Entretanto, no terceiro game, logo teve o serviço tomado de volta. Novamente, em uma dupla falta.

Os tenistas passaram a trocar mais bolas, alongar mais os pontos e a partida ficou mais equilibrada. No 2/3, todavia, Murray cometeu pecados capitais: errou três bolas, cedeu 15/40 e viu o rival acertar um lindo backhand paralelo, conseguindo a quebra.

Em 2/5, o tenista de Dunblane surpreendentemente cometeu uma dupla falta no 30 iguais, mas, mais uma vez, levantou o game com seu saque, jogando a pressão para Djokovic.

Então, sacando no nono game, Novak começou muito mal, errou três bolas e cedeu o 0/40. Mas ele voltou. Salvando sete break points, fechou, no terceiro match-point, em 6/3 e 2x1, após 2h05min de jogo, capturando seu 29º título de Masters 1000.