Juan Del Potro

Juan Martín del Potro (Crédito: Reprodução Twitter)

TÊNIS NEWS
23/03/2016
23:10
MIAMI (EUA)

O argentino Juan Martín del Potro venceu de novo. Após voltar em Delray Beach fazendo semifinal e parar em Berdych em Indian Wells, o argentino bateu o compatriota Guido Pella, 39º da ATP, por 6/0 e 7/6(4), em 1h28, classificando-se para pegar Roger Federer.

O histórico de confrontos entre os dois é extenso: são 20 encontros até agora, com 15 vitórias para Federer e 5 para Del Potro. O último embate ocorreu há quase dois anos e meio - devido às cirurgias no pulso enfrentadas pelo argentino -, no ATP Finals 2013, em Londres, quando Federer venceu um jogaço por 4/6, 7/6(2) e 7/5.

'Jogaços', aliás, é o que os dois fizeram muitas vezes: eles se enfrentaram em seis oportunidades em Grand Slams - duas no Australian Open, duas em Roland Garros e uma vez em Wimbledon e US Open. A única vitória de Delpo em majors foi na final do US Open 2009, em uma batalha épica de cinco sets na qual Juan Martín encerrou a sequência de cinco títulos consecutivos do suíço no torneio nova-iorquino, acabando com o sonho do hexacampeonato. Eles também mediram forças na semifinal olímpica de Londres 2012, em que Roger saiu vencedor, após virar outra batalha: 3/6, 7/6(5) e um impressioanante 19/17.

Como se não bastassem essas credenciais, os tenistas duelaram por três vezes no ATP Finals, com vantagem de 2x1 para o hermano, e cinco vezes em Masters 1000, com o ex número 1 do Mundo tendo 100% de aproveitamento em torneios da série de Miami.

O JOGO

O primeiro set foi bastante fácil. Guido Pella, atravessando a melhor fase da carreira, em 39º lugar do ranking – até o final de 2015, ele disputava na grande maioria torneios da série Challenger – parecia temer muito o compatriota, talvez pelo grande respeito que tenha pelo histórico tenista de seu país, talvez por estar intimidado em enfrenta-lo.

O fato é que Pella entrou no jogo de Del Potro, apenas o 366º da ATP atualmente, e entrou no jogo do ex número 4, que ainda tem muito medo de usar o combalido pulso esquerdo e recorre a dezenas de slices. Em vez de mostrar coragem e personalidade, indo para cima das bolas e atacando Del Potro, o vice campeão do Rio Open ficou passivo, no fundo da quadra, fazendo o que o oponente mais queria.

Dessa forma, cometeu quatro duplas faltas, em duas séries de dois erros duplos consecutivos, foi quebrado três vezes e não ofereceu resistência no saque da ‘Torre de Tandil’, à exceção do terceiro game, quando desperdiçou um 15/40. Em 29 minutos, um pneu estava aplicado na quadra central.

Na segunda parcial, Guido melhorou. Depois de ganhar seu primeiro game, começou a jogar com mais coragem e gradativamente foi firmando seu saque, até o ponto em que tinha facilidade semelhante a de Del Potro para confirmá-lo. Assim, os dois tenistas platinos foram confirmando seus serviços. Pella teve muita dificuldade sacando em 4 /5, quando cometeu uma dupla falta e erros bobos, cedeu um match point, mas viu Delpo desperdiça-lo em um erro bobo de direita. Dessa forma, os dois mantiveram seus saques restantes e a etapa foi ao tiebreak.

Nele, Pella cometeu uma dupla sacando em 1/1 e só foi recuperar o minibreak em uma bola de muita sorte, que bateu na fita, quando o ex top 10 sacava em 4/4. No entanto, nada adiantou: sacando em 4/5, Pella errou duas bolas e sacramentou sua derrota por 2x0, em 1h28min.