Marcelo Melo e Ivan Dodig em Paris

Marcelo Melo e Ivan Dodig em Paris. Crédito: FFT

TÊNIS NEWS
13/11/2015
16:18
Londres (Inglaterra)

Não pense que a chegada ao número 1 e garantia do topo até o fim do ano faça de Marcelo Melo um homem satisfeito em 2015. O ATP World Finals, evento com as oito melhores duplas do ano, começa na segunda-feira para o brasileiro com uma meta a alcançar.

Melo e o parceiro Ivan Dodig, que só jogaram 13 torneios juntos no ano, formam a terceira melhor parceria da temporada e vão em busca do título de maiores do ano onde se encontram 325 pontos atrás dos líderes, os irmãos Bob e mike Bryan, com 1.500 em jogo em Londres.

A vida de Marcelo e Ivan não estará nada fácil. Simplesmente são duas consistentes duplas campeões de Grand Slams - assim como eles que venceram Roland Garros.

A estreia do brasileiro e do croata acontece diante dos franceses Pierre Herbert e Nicolas Mahut a partir das 16h na segunda. Logo de cara os campeões do US Open. Em seguida dependerá se vencerem ou perderem, a ordem lógica é os vencedores se enfrentando e os perdedores também, mas a chave gira ainda com os campeões de Wimbledon, Horia Tecau/Julien Rojer (ROM/HOL) que é a segunda melhor dupla e concorrente direta pelo número 1, além de Marcim Matkowski (POL) e Nenad zimonjic (SRB), sétima melhor parceria e em tese a mais fraca do grupo.

Melo e Dodig porém vêm embalados por título em Paris, na França, em piso semelhante ao da O2 Arena, e conta com a tremenda fase do mineiro que venceu seus 16 últimos jogos e quatro torneios, dois em condições semelhantes. É bom lembrar que ano passado eles foram vice-campeões no evento de fim de ano e fizeram semi na primeira participação em 2013.Se depender da confiança e experiência, não há adversário que possa detê-los.

No confronto direto com os tenistas de seu grupo, Melo e dodig venceram Tecau e Rojer na semi de Roland Garros no único duelo contra. Diante de Matkowski e Zimonjic uma vitória em Washington e derrota em Cincinnati. Contra os franceses perderam uma semi dramática no Australian Open desperdiçando match-points.