Marcelo Melo e Bruno Soares vencem jogo de duplas contra Espanha - Copa Davis (Foto: Divulgação/Vipcomm)

Marcelo Melo e Bruno Soares vencem jogo de duplas contra Espanha - Copa Davis (Foto: Divulgação/Vipcomm)

TÊNIS NEWS - Por Fabrizio Gallas
19/11/2015
11:31
Londres (Inglaterra)

Um dos membros do Conselho de Jogadores da ATP, Bruno Soares bateu um papo com o Tênis News e afirmou que a decisão de retirar os pontos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foi exclusiva da ITF. Segundo ele, os jogadores queriam os pontos.

Bruno, que soma dois títulos de Grand Slam de dupla mista no US Open em 2012 e 2014 e foi top 3 nas duplas do masculino, destacou que os tenistas foram consultados e pela maioria deram o voto favorável para o Board de Diretores da ATP que gostariam de ter os pontos, mas que a Federação Internacional de Tênis optou por tirá-los.

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro não vão contar com pontos no ranking da ATP após duas Olimpíadas seguidas com pontuação em Pequim 2008 e Londres 2012.

"Na nossa reunião do Conselho da ATP, depois de conversarmos com os jogadores, foi tomada a decisão pela maioria que da nossa parte achavamos melhor ter pontos nas Olimpíadas. Passamos nosso comunicado, mas a decisão final foi da ITF", aponta Bruno que apesar da retirada dos pontos acredita que os Jogos do Rio, que serão realizados na Barra da Tijuca, vão seguir com o glamour. A preocupação fica pro futuro olímpico no tênis.

"Acredito que por agora pelas Olimpíadas terem voltado a ter prestígio enorme e que realmente vale pela importância que ela tem, não vai perder com isso", disse o brasileiro: "Mas ao longo do tempo o jogadores talvez repensem, uns por não ter tanta chance de medalha, outras por optar por calendário diferente, outras por não ter tanto incentivo. Passa por uma série de coisas, é uma decisão de cada um. Mas tenho um pouco de receio de voltar a ser como antes, as Olimpíadas ser algo bem diferente. Conseguimos tornar as Olimpíadas um grande evento de tênis, algo bem diferente, com o que tem de melhor no esporte. Quando você reúne esses jogadores com um evento como este, deveria valer pontos. Muito se fala do espírito olímpico e tudo, nada disso se perde, mas damos uma importância ainda maios se conta pontos pro ranking mundial. Mas é algo difícil falar pois é a cada quatro anos, toda vez terá essa conversa, novos torneios surgindo, mexe o calendário. Foi uma decisão da ITF, teremos que acatar e daqui a quatro anos vamos avaliar se essa decisão foi a mais correta".

Bruno está em Londres como reserva nas duplas do ATP World Finals com Alexander Peya. Ele jogará no ano que vem com o britânico Jamie Murray e é cotado como um dos favoritos para medalha nas duplas na Rio-2016.